O alerta foi emitido aproximadamente às 10:00 da manhã (horário local), através do Twitter; a mensagem é um protocolo em casos onde há um atirador. Um homem de 18 anos, identificado como Abdul Artan, atropelou um grupo de pessoas, e logo em seguida desceu do carro esfaqueando quem estava em seu caminho; na universidade Estadual de Ohio, na cidade de Columbus. Nove pessoas foram encaminhadas para hospitais da região, sendo que uma destas em estado grave. O suspeito era aluno da instituição e foi morto pela polícia.

Relatos do ocorrido: depoimentos das autoridades e testemunhas do ataque

Um aluno da instituição, Jacob Bowers, atribui a grande movimentação no local o fato de o Ataque não ter sido mais devastador, ele disse que com tantas pessoas no local, o suspeito não conseguiu se concentrar em um alvo.

Uma pessoa encontra-se em estado grave, as demais estavam com quadro estável, porém, ainda não foram divulgados detalhes sobre seus ferimentos.

A WBNS (canal de Columbus), atribuiu a autoria do ataque à duas pessoas, e que uma delas estaria portando uma arma de fogo; porém outras fontes mudaram esta versão (câmeras de segurança mostram Abdul sozinho), dizendo que havia um suspeito, e que as armas utilizadas para o ataque foram seu próprio carro (atropelando as vítimas) e uma machete (faca grande), confirmado pelo reitor da universidade.

Outro aluno, Wyatt Crosher, disse à CNN que ouviu o que pareceram tiros e depois sirenes de emergência. Ainda não houve divulgação da motivação deste ataque, mas terrorismo não está descartado, até porque o suspeito era da Somália (de acordo com a imprensa local), berço do grupo jihadista Al Shabab, um dos mais ativos da África.

Os melhores vídeos do dia

De acordo com as autoridades e a própria polícia, o agressor foi morto a tiros por um policial. Segundo as autoridades, nenhum dos feridos corre risco de vida. O alerta emitido pelo Twitter da Universidade, é padrão para situação com atiradores, porém, as autoridades não confirmaram se Abdul tinha mesmo uma arma de fogo. Entre as vítimas, há um professor, quatro estudantes de pós-graduação e três graduandos.

A Universidade Estadual de Ohio é uma das maiores dos Estados Unidos, com cerca de 60 mil alunos em seu campus principal. Um brasileiro, funcionário da Universidade, mandou um depoimento pela web, dizendo que tinha muita polícia no local, inclusive a SWAT, que todos estavam muito assustados no local, recebendo diversas mensagens no celular, avisando para ficarem onde estavam, não saírem de suas salas, pois a ameaça ainda não estava controlada; foram momentos de bastante tensão e medo.

Em conferência de imprensa no fim da tarde, o reitor Michael Drake, disse que algumas zonas do campus ficaram fechadas durante algumas horas, para a polícia poder fazer seu trabalho investigativo, mas que hoje (29/11), a Universidade deve retomar plenamente seu funcionamento.