Na última quarta-feira (23), o canal de televisão marroquino 2M exibiu em seu programa diário Sabahiyat um tutorial ensinando mulheres que passaram por violência doméstica a esconderem as marcas das agressões. A apresentadora do programa matinal aparece mostrando calmamente como seria a maquiagem ideal para esse tipo de situação.

A mulher agredida está sentada em uma cadeira de salão no centro do palco com vários hematomas pelo rosto, enquanto a outra explica como se livrar das marcas.

Ao início do programa a mulher que tocava o show disse que a intenção era de que as dicas de beleza ajudassem as mulheres violentadas a seguirem com as suas vidas cotidianas apesar dos machucados. Absurdamente a TV exibiu as imagens apenas dois dias antes do Dia Internacional para Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

A exibição gerou revolta em todo o mundo, e diversas mulheres se manifestaram nas redes sociais em repúdio à apresentação no mínimo vergonhosa.

Um abaixo-assinado foi elaborado por inúmeras mulheres pedindo a retratação imediata do programa absurdo. O canal chegou a retirar as imagens de circulação online, contudo ainda é possível encontrar as cenas que se espalharam pela internet e estão sendo usadas como sinal de protesto.

Como muitos canais que se aproveitam da fragilidade e vulnerabilidade das pessoas, a exibição mostrou não só falta de sensibilidade ao tratar de um tema tão delicado, mas também uma realidade alarmante: a necessidade de criar notícias sensacionalistas para ganhar audiência.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Um pedido de desculpas foi divulgado pela televisão do Marrocos no Facebook. No texto de retratação o canal justificou que o quadro foi extremamente inadequado, e que houve sim uma falta de bom senso editorial ao lidar com a gravidade de um problema como é o da violência contra as mulheres.

O Marrocos é um dos países que tem a lei mais frouxa no que diz respeito à punição da violência doméstica. Um exemplo, é que um estuprador pode escapar da pena e da sentença de prisão, se ele se casar com a vítima sendo ela menor de idade.

Para eles é inaceitável uma mulher perder a virgindade antes do casamento, e é ela que ficará manchada por toda vida, ainda que tenha sido violentada.

Muitas vezes elas são acusadas de terem consentido com o abuso, e recebem pouca ou nenhuma assistência no que diz respeito à proteção de suas vidas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo