Um homem foi libertado pelo Tribunal de Fresno, na California, apesar de ter admitido que tinha 'socado o bebê até a morte'. Jose Luiz Espinoza, de 14 meses, morreu depois de ter sido, alegadamente, agredido, por Kenneth Johnson. O homem de 30 anos estaria no apartamento da mãe do bebê, junto com a namorada, que estava trabalhando de babá para esse menino, enquanto a mãe não estava.

Publicidade
Publicidade

Como a criança não parava de chorar, ele deu uns socos nele, que levaram a sua morte. Apesar disso, o Tribunal rejeitou as acusações apresentadas e libertou o homem.

O caso aconteceu a 20 de novembro, e a polícia descreveu a ação de Johnson como uma "perda de controle". Alegadamente, o homem teria perdido a cabeça, por causa do choro constante da criança. O homem teria mesmo contado para os policiais que tinha dado uns socos no estômago do menino.

Jose Luiz morreu com a pancada
Jose Luiz morreu com a pancada

Isso durante um dos interrogatórios, uma vez que, mais tarde, Kenneth Johnson teria alterado sua versão, falando que não tinha "magoado o bebê".

Os médicos não encontraram lesões visíveis no bebê, o que poderia até desculpar esse homem. No entanto, o médico legista não tem dúvidas e declarou o homicídio. O legista viu um trauma interno, que teria provocado a morte do bebê, durante a autópsia, e declarou que essa morte foi provocada por um homicídio.

Publicidade

Apesar de tudo isso, o tribunal rejeitou todas as acusações e libertou o homem, devolvendo o caso para a polícia, que terá agora que reiniciar a investigação, procurando por novas provas para esse caso.

Mesmo depois de ser libertado, Johnson apareceu confuso perante os jornalistas e "pediu desculpas por essa situação", uma declaração que poderia assumir novamente a sua culpa. Para algumas pessoas, que estão comentando, com enorme indignação essa sentença, Johnson poderia não ter feito isso com intenção de matar, apenas por ficar nervoso com o choro, mas são poucos os que acreditam na sua inocência.

Até porque as provas parecem ser muitas. No entanto, o Tribunal não pensou assim e o homem continua em liberdade.

A mãe do bebê, que tinha deixado a criança com a babá, enquanto estava fora da cidade, ficou desolada com o sucedido, mas ainda não fez qualquer declaração. Porém, lançou uma recolha de fundos, na Internet, para poder pagar o funeral do seu filho.

E o leitor, concorda com essa sentença? Deixe sua opinião!

Leia tudo