Eman Salehi, de 28 anos, foi assassinada na frente do próprio filho, no Bahrain. A Jornalista esportiva foi surpreendida, na rua, no dia 23 de dezembro, e o caso está causando choque por todo o mundo. Se desconhecem ainda as motivações para um crime como esse mas a polícia já tem um suspeito, que pertenceria à família real do Bahrain. Hamad Mubarak Alkhalifa está detido sob custódia policial enquanto a investigação continua.

Abatida na frente do filho

A jovem jornalista esportiva teria sido assassinada depois de seu carro ter sido mandado parar. Conhecida por seus lindos olhos azuis, a jovem foi mandada parar pelo militar Alkhalifa, que pertence à família Real do Bahrain, mas que está servindo no exército do país.

O homem teria disparado um tiro na cabeça da jornalista de TV. O filho de seis anos de Eman Salehi estava dentro do carro e assistiu ao momento em que a mãe foi morta.

A mulher era xiita e o jornal Daily Mail cogita existirem problemas entre a família do alegado assassino e o povo xiita. No entanto, na rede social Twitter, Ala'a Shebabi, uma jovem do Bahrain que vive e trabalha em Londres, fala da possibilidade de esse crime ter um motivo passional. Alegadamente o militar estaria pedindo o número de telefone de Salehi e, por sua recusa, ele acabou disparando contra ela. "Morreu por ser mulher", contou Shebabi, explicando em outro tweet que os homens não entenderm que a "mulher é dona de seu corpo".

Homem se entregou na delegacia

Após o disparo, o homem teria seguido para a delegacia, onde se entregou para a polícia.

Os melhores vídeos do dia

Depois de ser interrogado, ele ficou em prisão preventiva, onde vai aguardar pela conclusão desse processo de investigação. Nesse momento ele é o único suspeito do crime bárbaro, do qual ainda não se estão conhecendo muitos pormenores.

O caso volta a pesar contra o Bahrain, um país que tem sido criticado internacionalmente por causa dos abusos contra os direitos humanos. Agora, esse caso envolvendo uma morte, nas mãos de um membro da Família Real, pode dificultar ainda mais a sua imagem, dependendo, no entanto, de como ele vai ser agora gerido.

Da família real ainda não existe qualquer comentário, mas o ministro do interior já confirmou que estão investigando essa morte.