E o clima está cada vez mais quente entre o exército do ditador Bashar al-Assad e os opositores ao regime sírio. Nestas últimas semanas, moradores de Aleppo têm registrado pelas redes sociais, a angústia de estarem encurralados em meio a um conflito que parece não ter mais fim.

Lina Shamy é uma dos internautas, moradora de Aleppo, que divulgou um vídeo, via Twitter, lamentando a situação em Aleppo e pedindo força ao mundo. Veja a seguir:

"Seres humanos de todo o mundo, não parem! Só vocês podem fazer algo. As ruas agora!" , ordena a moça.

Outros internautas, que estão vivenciando o mesmo conflito, divulgaram vídeos e mensagens de adeus. Parecem não acreditar mais na possibilidade de serem salvos. Essa tem sido a realidade nua e crua dos moradores de Aleppo.

A situação da cidade é crítica. Isso não é novidade. As forças governamentais tentam retomar a zona leste da cidade, dominada pelos opositores do regime, desde 2012.

Associações de ajuda internacional têm procurado apelar para um cessar-fogo, de modo a retirar em torno de 50 mil a 100 mil habitantes da zona de conflito. Mas essa realidade parece distante. Voluntários também tentam de alguma forma ajudar as pessoas de Aleppo, porém, acabam se tornando vítimas.

O conselho de segurança realizou, na terça (13), uma reunião de emergência solicitando cessar-fogo. Nesta reunião, foi feito um acordo de retirada dos civis e dos combatentes insurgentes da cidade de Aleppo.

Os melhores vídeos do dia

Alguns meios de comunicação da Europa também resolveram ajudar, divulgando dicas preciosas de como você pode contribuir nesta causa. Confira:

1. Voluntário

Não precisa necessariamente estar em Aleppo para ajudar. Você pode entrar em contato com os voluntários que já se encontram por lá, e oferecer todo o suporte necessário que as pessoas precisam. Isso pode ser feito via rede social. Por exemplo, se você é médico, pode orientar o povo através das redes sociais.

2. Doador

Procure ONGs (organizações não-governamentais) que estejam a serviço do povo de Aleppo, e contribua se puder. O grupo Médicos Sem Fronteiras também ajudam essas pessoas, então, você pode entrar no site do grupo e fazer uma contribuição mensal.

3. Informante

Informe as autoridades de seu país, seja por carta, e-mail ou a própria rede social, o seu descontentamento pela situação em Aleppo, e reivindique medidas que possam solucionar essa crise de uma vez por todas.

4. Oriente refugiados

Muitos imigrantes têm chegado a alguns países e eles precisam de apoio, e orientação de como integrar em uma nova sociedade. Procure informações sobre eles, e ajude-os,p a se adaptarem à nova vida.