Desde as constantes atuações do Estado Islâmico (ISIS) e de outras facções terroristas, a partir de 2011, grupos extremistas como a Al-Qaeda, fundada e comandada pelo falecido Osama Bin Laden, deixaram de representar perigo ao Ocidente.

Mais radicais e crueis, extremistas do ISIS e companhia, usam métodos estarrecedores para alcançar seus objetivos de destruir o Ocidente.

Além de crucificar e queimar cristãos na Síria e no Iraque, de estuprar mulheres indefesas e de raptar crianças com a finalidade de torná-las soldados operantes, radicais islâmicos, agora usam menores de idade para se explodirem em determinados locais.

Um exemplo dessa ‘demoníaca’ estratégia foi divulgado na quarta-feira (21), por meio de um vídeo na internet.

De acordo com informações dos jornais britânicos Daily Star, Mirror e Daily Mail, as imagens, inicialmente exibidas nas redes sociais, mostram duas crianças com idades estimadas em sete e nove anos.

Na ocasião, antes de cometerem suicídio, elas estão numa sala diminuta. As menores se despedem da mãe, uma militante trajada com a característica vestimenta das mulheres afegãs: a burca.

Logo após a mulher conversar com as duas garotas, o pai - um terrorista fanático - conclui a lavagem cerebral, ao instigar as irmãs a se matarem em nome da causa.

Ao mesmo tempo, o cinegrafista que grava a cena, pergunta à mulher por que ela está a enviar suas filhas para morte, sendo que elas são tão jovens. "Ninguém é jovem quando se trata de jihad”, responde.

Conforme o jornalista Alex Hickson (Daily Star), o militante barbudo, visto a falar com as garotas, reforça que elas não precisam temer a morte, pois o paraíso está à espera.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Curiosidades

“Você não vai ter medo, porque você está indo para o Céu, certo?", diz o pai das garotas.

Uma hora depois das menores saírem da sala, houve relatos da explosão de uma delegacia em Damasco, capital da Síria, na sexta-feira (16).

Embora as informações com relação ao autor do atentado sejam desencontradas, o Daily Star, o Mirror e o Daily Mail, ressaltam que a criança de sete anos entrou no local pedindo para usar o banheiro.

No interior da delegacia ela se explodiu, matando três policiais. Por enquanto, não há notícias sobre o que aconteceu com a garota de nove anos.

Mesmo que nenhum grupo terrorista tenha admitido o atentado, até o momento, o Mirror acentua que a imprensa síria acredita que o pai das jovens é um membro do grupo extremista Jabhat Fateh al-Sham.

No entanto, a hipótese do Estado Islâmico ter orquestrado o crime, também não está descartada.

Na galeria de fotos, veja imagens das garotas e da delegacia destruída após a explosão.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo