Uma banda de tributo à Bruce Springsteen desistiu de se apresentar no evento de gala na noite que antecede o evento da posse de Donald Trump, que acontece na próxima sexta-feira (20), em Washington.

Informações da agência Reuters apontam que o grupo, que já se apresentou no Baile Inaugural de Garden State de 2009 e 2013, cedeu a pressão do público após receber uma grande quantidade de e-mails, tanto os criticando quanto os elogiando.

Entretanto, de acordo com o comunicado divulgado na segunda-feira pela B-Street Band, a decisão "é baseada SOMENTE pelo respeito e gratidão que temos por Bruce e pela E Street Band”.

O cantor de 67 anos, famoso por músicas como "Born in the USA" e "Thunder Road", tem se posicionado com indignação com relação a vitória do republicano, chegando a chamá-lo de "imbecil" numa entrevista para a revista Rolling Stone, em setembro do ano passado.

Festa e Protesto

No sábado (21), um dia após a posse de Trump, será realizada a Marcha das Mulheres, onde são esperadas mais de 200 mil pessoas. As manifestantes devem se concentrar em frente ao Capitólio por volta das 10h e caminhar até a Casa Branca.

De acordo com a descrição do evento criado no Facebook, a marcha tem o objetivo de enviar a mensagem de que os direitos das mulheres são os direitos humanos logo no primeiro dia da nova adminstração do país.

A ideia da marcha de Washington se espalhou com facilidade pelas redes sociais e são esperadas manifestações em outras cidades dos Estados Unidos e do mundo.

No Brasil, o evento deve acontecer no Rio de Janeiro, à partir das 13h, com concentração na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema.

Três dias de "celebração"

A festa de posse de Donald Trump terá três dias de duração, tempo menor se comparado com as celebrações dos presidentes eleitos anteriormente, que duraram até cinco dias.

Os melhores vídeos do dia

Na sexta-feira (20), a cerimônia terá início às 9h30 e contará com a presença da ex-candidata derrotada à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, acompanhada do marido e ex-presidente Bill Clinton.

Outro ex-presidente, George W. Bush, também deve acompanhar o primeiro pronunciamento de Trump como líder americano.