Em 20 de janeiro de 2016 acontecerá o Anti-Inaugural Ball (Show Anti-Inauguração, em tradução livre), um evento com bandas e artistas contrários a eleição de Donald Trump à Casa Branca. O evento será realizado em Los Angeles, no Teragram Ballroom, a partir das 20h (horários de Los Angeles), e marca o retorno do Audioslave depois de um hiato de doze anos.

Chris Cornell anunciou, em fevereiro de 2007, que estava fora do Audioslave devido a "diferenças musicais e de personalidade" com o resto da banda.

Desde então, os demais membros do grupo, Tom Morello (guitarra), Tim Commerford (baixo) e Brad Wilk (bateria) voltaram com o Rage Against the Machine (com o vocalista Zach de La Rocha) e fundaram o Prophets of Rage (Tim, Tom, Brad, Chuck D e B- Real do Cypress Hill e DJ Lord do Public Enemy). Além disso, Tom Morello continuou seu projeto solo, intitulado The Nightwatchman. O que esses projetos todos têm em comum? O viés político. E foi isso que fez com que o Audioslave se reunisse nesse show-protesto contra Trump, evidenciando que os membros da banda têm pelo menos isso em comum.

Além do Audioslave, o show encabeçado pelo Prophets of Rage, conta com as seguintes atrações: Vic Mensa, Jackson Browne, Jack Black e The Los Angeles Freedom Choir e será exatamente no dia da posse do 45º presidente americano em contraponto ao show de inauguração do mandato e da chegada de Trump à Casa Branca.

Garras contra a Máquina

Os membros do Phophets of Rage sempre defenderam suas visões políticas em suas carreiras musicais, usando suas bandas como arma para expressar suas opiniões contrárias à política vigente e ações de partidos e governos americanos.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Música Mundo

Tocando com o Rage Against the Machine, Brad, Tim e Tom já fizeram protestos musicais contra o NAFTA (Tratado Norte-Americano de Livre Comércio), a Alca (Área de Livre Comércio das Américas) e até já fecharam a bolsa de valores por algumas horas enquanto gravavam o clipe de Sleep Now in the Fire do álbum The Battle of Los Angeles (1999), dirigido por Michael Moore.

Donald Trump é uma figura controversa e polêmica e fez com que todos se surpreendessem quando ascendeu ao cargo de presidente dos EUA.

Quer você goste dele ou não, uma coisa é certa: como naqueles seriados e filmes que heróis se juntam contra a ameaça 'maligna", apesar das “divergências”, o Audioslave voltou graças a ele! O empresário nos surpreendeu novamente, mas dessa vez, a Música agradece.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo