"Alta como uma pipa", ou seja, doidona, é como está sendo descrito pela imprensa o estado mental no qual Lisa Luna, 31 anos de idade, embarcou na aventura de sua vida no estado americano do Arizona. Talvez nunca seja possível descobrir como tudo aconteceu. O que se sabe é que transeuntes preocupados chamaram a polícia depois de ver uma completamente despida Lisa Luna vagando pela rua, parecendo confusa e desconfortável.

Publicidade
Publicidade

Aí aconteceu uma cena que não ficaria deslocada em um filme da franquia Loucademia de Polícia (se os produtores fossem especialmente descuidados com a verossimilhança e suas exigências): o "tira" que respondeu ao chamado tentou cobrir e confortar com um lençol Luna, e esta aproveitou para se apropriar da viatura daquele, que tinha sido deixada com o motor ligado, e levá-la embora.

Como não poderia deixar, a polícia pôs-se logo no encalço da fugitiva (e a perseguição foi filmada, para alegria de quem não perde uma perseguição policial).

Publicidade

A franquia cinematográfica relevante ao caso passou a ser outra: Velozes e Furiosos. Depois de uma perseguição de 75 milhas (120 quilômetros) e velocidades que alcançaram em alguns trechos mais de 150 quilômetros por hora (que começou em Gila Bend e terminou em Eloy), com o carro dirigido por Luna se chocando com outro veículo, finalmente ela foi capturada. Segundo notícias preliminares, um oficial deu um tiro na perna dela com munição não-lateral para evitar que ela tentasse fugir entre os carros da estrada e se ferisse gravemente.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Inicialmente ela disse à polícia que tinha sido abusada sexualmente por um parente (acusação da qual ela já se retratou), o que a teria levado a usar uma enorme quantidade de drogas. Depois disso ela, contou, tirou as roupas, pois sentia sua pele queimando e seu corpo sendo estuprado repetidamente. Ela também disse ter ouvido a voz do pai morto, que a tentava ajudar mas, segundo o depoimento dela às autoridades, ela não tinha controle do que fazia.

Segundo a polícia, ela enfrentará várias acusações, entre as quais as de resistência à prisão, fuga da polícia, falso comunicado de crime, agressão e roubo de veículo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo