2

A polícia do estado de Oklahoma, nos Estados Unidos, liberou recentemente vídeos que mostram o momento em que uma jovem armada de 21 anos de idade, conhecida como Madison Sueann Dickson, é atropelada e morta pelas autoridades que a perseguiam.

O incidente aconteceu no dia 18 de março (sábado) em uma rua que fica próxima à Escola Elementar Jenks East, na cidade de Tulsa, e as imagens revelaram que Madison estava correndo a pé em uma tentativa de fugir dos policiais.

Na filmagem registrada de dentro da viatura que fez o atropelamento, é possível ver a jovem carregando uma arma, e em determinado momento, o motorista deste veículo, identificado como Jonathan Grafton, se aproximou de Madison e arremessou a viatura contra ela, passando por cima de seu corpo – instante em que a jovem desapareceu embaixo do carro.

Em um vídeo feito por outra viatura, são vistos vários oficiais fora de seus veículos, correndo em direção ao carro que atingiu Madison.

Investigação sobre o caso e histórico de crimes

Segundo o site Tulsa World, Jonathan Grafton já trabalha há seis anos no departamento policial da cidade onde o incidente ocorreu, e atualmente está sob licença administrativa enquanto a investigação que apura o seu "uso de força mortal" ao volante segue em andamento.

O site americano também revelou que na semana anterior ao confronto com a polícia do dia 18 de março, Madison Sueann Dickson se envolveu em uma série de crimes relacionados a armas de fogo. Acredita-se, inclusive, que ela tenha atirado na cabeça de um homem dois dias antes de ter sido morta, deixando-o em estado crítico.

Além disso, a jovem efetuou um roubo em uma loja no dia 11 de março, descarregando uma arma de fogo durante o incidente.

Os melhores vídeos do dia

No dia 12, Madison atirou no braço de uma mulher, exigindo que a vítima saísse de um veículo (nesta ocasião, a criminosa estava acompanhada por um homem, que continua não identificado).

Cerca de três meses antes de cometer os crimes, a jovem abandonou um centro destinado a auxiliar viciados em drogas. Brittany Stieber, que era amiga de Madison, afirmou ao Tulsa World que sua colega era uma pessoa completamente diferente enquanto estava em tratamento, dizendo: "No fundo, ela era uma boa pessoa. As drogas tiraram o melhor dela. O inimigo tirou o melhor dela".