Faltando apenas três meses para a eleição presidencial na França, a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, se encontrou com o presidente russo, Vladimir Putin, no Kremlin, na sexta-feira (24). De acordo com a Reuters, Putin demonstrou simpatia à candidatura da francesa.

Le Pen é uma forte candidata populista na França, fazendo sérias críticas a respeito de imigração e reivindicando a soberania nacional francesa.

Marine, que diz admirar o líder russo, visitou a Rússia a convite de Leonid Slutsky, chefe da câmara de relações exteriores do parlamento russo, mas acabou alterando o cronograma de eventos para se encontrar com Putin.

O presidente russo disse à candidata que Moscou está aberta para conversar com qualquer político francês que tiver interesse. "É claro que sei que a campanha eleitoral na França está se desenvolvendo ativamente", disse Putin, comentando sarcasticamente sobre as alegações de que a Rússia está por trás do resultado final das eleições americanas do ano passado, dizendo: "não queremos influenciar eleições em nenhum país, mas nos reservamos o direito de conversar com representantes de todos blocos políticos franceses que tiverem interesse ".

De fato, uma reunião com Putin é uma grande oportunidade para Le Pen, e poderia ajudá-la a ampliar suas credenciais de política externa. A candidata, apesar de ser muito popular na França, tem brigado ao máximo para obter todo tipo de apoio no exterior. Também há uma outra questão de suma importância, a situação financeira da francesa.

Os melhores vídeos do dia

Em dezembro do ano passado, sua campanha foi ameaçada quando um banco russo de sua influência fora fechado pelo Banco Central da Rússia. Todavia, o porta-voz do presidente russo disse, durante uma teleconferência, que Putin e Le Pen não discutiram a possibilidade de a Rússia oferecer qualquer ajuda financeira ao partido da candidata.

Com certeza a mídia, agora, utilizará a visita para tratar de Le Pen como mais um fantoche do presidente Vladimir Putin, no entanto, quanto mais se fala, mais sua popularidade cresce. Foi o que ocorreu com o fenômeno Donald Trump. E você? O que acha?