Existe um assunto que tem gerado muita polêmica entre juristas e intelectuais nos últimos anos, o aborto.

Como todos sabem, no Brasil o procedimento é proibido e configura crime de homicídio, apenas com exceções quando há risco de vida à mãe, quando a gravidez é resultante de um estupro ou se o feto for anencéfalo. Entretanto, nos Estados Unidos é legalizado até o terceiro mês de gestação.

Todavia, a Planned Parenthood, uma famosa ONG abortista americana e, talvez, a maior do mundo, já possui uma péssima fama devido a diversas cenas vergonhosas.

Publicidade
Publicidade

Um dos escândalos mais famosos é o da gravação que mostra a diretora da organização Deborah Nucatola negociando tecidos e outros órgãos de fetos abortados, por valores que variavam entre US$30 e US$100. A gravação foi feita por um homem disfarçado de comprador de fetos. Porém, o fato já é antigo e aconteceu em 2015.

O novo flagrante

Agora, em 2017, um homem, novamente disfarçado, gravou o depoimento de uma funcionária da organização com uma câmera escondida.

Publicidade

Durante a conversa, a representante da Planned Parenthood explica que, pelas leis do estado do Arizona, caso um feto sobreviva após o procedimento de aborto, ele deve ser imediatamente encaminhado ao hospital. No entanto, quando isso ocorre, para evitar todo o trâmite, ela identifica quem são as pessoas que estão participando do procedimento, isto, no intuito de ver se há consentimento em deixar o bebê morrer para, logo após, jogá-lo no lixo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Aborto nos Estados Unidos

O aborto é permitido nos Estados Unidos desde 1973, graças ao caso 'Roe contra Wade'. No entanto, houve muita controvérsia no caso, uma vez que a grávida mentiu ter sido violada por uma gangue, admitindo o contrário após o julgamento. Também houveram diversas acusações por desvio do texto da constituição e sua história, principalmente por, após o caso, a prática do aborto ter sido legalizada no país inteiro, posto que nos Estados Unidos as leis penais variam de estado para estado.

Além da legalização da prática do aborto, é permitido que as organizações doem os fetos abortados para pesquisa e coisas do gênero, embora a venda constitua-se como crime.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo