A Coreia do Norte realizou no último sábado (29/04), mais um teste com míssil nuclear. Algumas horas após o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, ter deixado o alerta para os norte-coreanos, que se o país não suspender seu programa de testes nucleares, todos irão obter resultados cataclísmicos e desastrosos.

O teste aconteceu horas antes do porta-aviões norte-americano "USS Carl Vinson" e da armada que o acompanha chegar à península das Coreias, onde foram iniciados exercícios militares juntamente com a Coreia do Sul, segundo a agência Reuters.

O teste em si, não teve resultados positivos, segundo autoridades dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, que afirmaram ser o quarto fracasso de Kim Jong-un em relação à testes envolvendo mísseis nucleares desde março, e que, o míssil de médio alcance, KN-17, provavelmente tenha falhado alguns instantes antes de decolar.

Tillerson ainda afirmou na última sexta-feira, 28/04, que estão sendo analisadas toda e qualquer probabilidade de intervenção, inclusive uma ação militar.

Japão e Coreia do Sul estão apreensivos, pois se trata de ameaça real de um ataque nuclear contra Tóquio e Seul, seguindo este raciocínio, Tillerson ainda afirmou que, a Coreia do Norte pode estar há pouco de desenvolver a eficácia necessária para atacar os EUA e países aliados, e concluiu — "Se não nos anteciparmos, e não repreendermos essas forças que não compactuam com os pensamentos comuns com o restante do mundo, e levarmos à sério, assuntos de grande importância em relação a segurança de toda a humanidade, as consequências serão devastadoras".

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que, os testes nucleares feitos por Kim Jong-un são uma afronta, não só ao mundo, mas também a China, aliada comercial dos norte-coreanos.

Trump ainda disse em seu Twitter que a Coreia do Norte, passou por cima da China e seu respeitável presidente, lançando um míssil, mesmo sem ter sucesso.

Wang Yi, ministro das Relações Exteriores da China, afirmou que o poder para suspender os testes nucleares na península das Coreias não cabe somente a China, assumiu em nota diplomática.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Curiosidades

Nos últimos anos, a Coreia do Norte tem realizado vários testes com mísseis nucleares, incluindo os de médio alcance, e os disparados a partir de submarinos, e tudo indica que estão desenvolvendo um míssil intercontinental, capaz de alcançar os EUA.

Japão protesta

Shinzo Abe, primeiro-ministro japonês, afirmou que os testes feitos pelo ditador norte-coreano, são uma grave ameaça a ordem mundial, e diz que o Japão continuará observando o comportamento da China, em relação aos fatos ocorridos.

Coreia mantém ameaças

Representantes do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte relataram para o jornal oficial do governo, Rodong Sinmun, que a invasão do porta-aviões a península das Coreias, se trata de um ato inconsequente, realizado por pessoas sedentas por Guerra, e que tem o objetivo de iniciar um conflito nuclear cataclísmico.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo