De acordo com o noticiário da Fox News, diante da crescente tensão na península coreana, dois bombardeiros russos, ambos com capacidade nuclear, sobrevoaram a região do Alasca na segunda-feira (17) durante a noite. Em entrevista, dois oficiais dos Estados Unidos disseram que esta é a primeira vez que a Rússia é tão provocativa desde a posse do presidente Donald Trump.

Os bombardeiros russos TU-95 "Bear" sobrevoaram a distância de 100 milhas da Ilha de Kodiak, no Alasca, distante 280 milhas da Base Aérea estadunidense de Elmendorf, zona sob responsabilidade da Defesa Aérea americana.

Em resposta, a marinha dos #Estados Unidos decolou dois caças furtivos F-22 (aviões de última geração), mais um avião de alerta precoce E-3 para interceptar os bombardeiros russos, caso os últimos chegassem mais perto.

Ainda, segundo o relato, os jatos americanos voaram ao lado dos bombardeiros russos por 12 minutos, entretanto, estes reverteram o rumo e voltaram para sua base no leste da Rússia.

Relação entre a Rússia e os Estados Unidos

As relações entre os dois países não anda muito boa, uma vez que o bombardeio na Síria, realizado pelos Estados Unidos em resposta ao ataque químico, desagradou o presidente russo Vladimir Putin. Também há a questão da Coreia do Norte, país aliado da Rússia e da China, que tem realizado sérias provocações aos seus vizinhos japoneses e sul-coreanos, aliados dos EUA.

Todavia, na última semana, o secretário de Estado americano, Rex Tillerson, informou que as relações entre os EUA e a Rússia não iam bem, isto enquanto se sentava ao lado do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, em Moscou.

Os melhores vídeos do dia

Como se já não houvesse problemas suficientes, durante a visita de Tillerson, três bombardeiros russos sobrevoaram a costa leste do Japão, e outro avião, espião, também russo, sobrevoou a costa oeste, fazendo com que o exército japonês organizasse 14 caças para prontidão, caso houvesse a necessidade de interceptar os aviões russos.

A última vez que os bombardeiros russos voaram perto dos EUA foi em 4 de julho de 2015, quando sobrevoaram a costa do Alasca e chegaram a cerca de 40 milhas de Mendocino, na Califórnia.

Além das dificuldades geopolíticas enfrentadas pelos dois países, parece que o presidente russo, Vladimir Putin, não é capaz de cessar com suas provocações, posto que autoriza atos militares até durante reuniões diplomáticas. #Guerra #Russia