Ajay Childs, um menino autista de quinze anos, foi atacado brutalmente por dois outros garotos. O menino foi alegadamente espancado e estrangulado pelos colegas por ele ter necessidades especiais, contou sua mãe, ainda muito perturbada com o incidente de bullying. O garoto que só recentemente havia começado a viajar de ônibus, estava regressando a casa, na segunda-feira, quando foi atacado. Ajay ficou com vários ferimentos e a mãe acredita que o seu filho, por sofrer de Autismo, precisava ser mais protegido.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Por sofrer de autismo, Ajay precisava de outro tipo de necessidades. Também por essa razão, só recentemente ele começou a utilizar os transportes públicos.

O menino estava viajando de ônibus, enquanto escutava música, possivelmente para se abstrair de tudo à sua volta. Com os fones nos ouvidos, ele foi vítima de um ataque de bullying, por dois garotos, na frente de outras crianças, que teriam ficado horrorizadas. Com os fios dos fones, eles ainda tentaram estrangular Ajay, que ficou com várias lesões.

Kelly, a mãe do menino reportou, que ele ficou com o polegar quebrado, com uma concussão cerebral, além de inchaço no rosto e cortes e hematomas no seu olho. A mãe do menino contou ainda para o jornal Mirror que o menino está afastado de todos e que não quer regressar à escola, nem ouvir falar de andar de ônibus novamente.

A família de Ajay está tentando que ele retome sua vida normal e estão viajando com ele de ônibus, para que ele perca o medo novamente.

Os melhores vídeos do dia

No entanto, o adolescente, que já era tão tímido, piorou mais ainda e não quer nem sair do quarto, o que pode ter a ver com a sua condição de autismo.

Kelly, de 36 anos, espera que a polícia possa fazer alguma coisa para ajudar Ajay. Com as declarações dos outros meninos, que estavam presentes no ônibus no dia do incidente e também com as imagens das câmeras de segurança, ela espera que os valentões que deram a surra no seu filho, possam ser punidos. A mãe da criança apresentou queixa na polícia e na escola do garotinho.

De acordo com o porta-voz da escola, foram dois os incidentes de bullying, envolvendo os mesmos garotos. Antes da agressão a Ajay, os dois estudantes do 10º ano, ja haviam batido em outro colega. Depois disso, eles teriam fugido e atacado Ajay, no caminho de casa. Enquanto a investigação decorre, a escola castigou preventivamente os dois alunos, durante cinco dias. "Nós estamos dando a nossa plena cooperação com as investigações da Polícia Metropolitana. A segurança e o bem-estar de todos os alunos na escola é a nossa preocupação número um e nós deploramos totalmente quaisquer atos de agressões verbais ou físicas sobre os membros de nossa comunidade escolar", garantiu o porta-voz da escola nas declarações prestadas para o jornal Mirror.

A escola garante que, assim que as investigações sejam concluídas, eles vão tomar as medidas apropriadas contra os responsáveis pelos atos de violência.