Anúncio
Anúncio

No filme “Matrix” (1999), o protagonista Neo, interpretado por Keanu Reeves, descobre que sua vida é uma ilusão projetada por computadores. Desde a primeira exibição nas telonas, a película impulsiona a imaginação de cientistas e fãs de todo o mundo, que questionam a probabilidade de vivermos em uma simulação.

Embora não existam evidências científicas para corroborar a ideia de existirmos em um universo composto de uns e zeros – números binários, dominantes no sistema computacional e tecnológico – a empresa Improbable, de Londres (Inglaterra), pretende ser a primeira a criar uma realística simulação da sociedade humana, semelhante ao filme “Matrix”.

De acordo com o jornal britânico Daily Mail, desta sexta-feira (12), a startup, que desenvolve um complexo programa para criar mundos virtuais e simulados, celebrou hoje um novo patrocínio, de milhões de dólares, para ela dar continuidade ao enigmático [VIDEO] software, baseado em inteligência artificial (IA) – confira a manchete:

Segundo Herman Narula, fundador da empresa, ele está mapeando cidades de todo o planeta no intuito de ajudar os funcionários da Improbable a elaborarem complexos e realísticos cenários.

Advertisement

Em entrevista exclusiva ao Daily Mail, Narula é pragmático ao comentar sobre o polêmico [VIDEO] projeto. “Nossa visão é criar maciços mundos virtuais. Basicamente, queremos construir a Matrix”, declara.

Apesar de a ideia parecer sensacionalista e longe da realidade - para a maioria das pessoas -, ele revela ter arrecadado nesta sexta-feira US$ 502 milhões (R$ 1,5 bilhão) em fundos liderados pela SoftBank, corporação multinacional japonesa de telecomunicações e internet.

Na percepção de Narula, o próximo avanço significativo na computação será o surgimento de mundos virtuais. No entendimento dele, as simulações serão usadas para ampliar a experiência humana e modificar a forma como compreendemos a realidade. O idealizador do inusitado software, destinado a simular a existência humana nos moldes do filme “Matrix”, ainda destaca receber apoio de grandes empresas, além de governos de vários países.

Advertisement
Os melhores vídeos do dia

“Estamos trabalhando em projetos com empresas de telecomunicações, governos e outros clientes corporativos para explorar a capacidade de simulações maciças e detalhadas para conduzir melhores decisões usando dados do mundo real e esperamos conversar mais sobre isso no futuro", enfatiza Narula.

Programa pioneiro de simulação

Atualmente, a Improbable disponibiliza online uma espécie de jogo em mundo aberto, chamado SpatialOS, onde programadores podem acrescentar cenários e outras características, e os jogadores ainda são incentivados a criarem bonecos, ambientes etc. O programa, descrito pela empresa como “um sistema operacional distribuído para simulações em grande escala”, representa um avanço nos estudos a respeito da realidade virtual simulada.

Conforme a startup, a Tecnologia empregada no software permite a criação de simulações mais complexas do que as anteriores, além de suportar mais usuários conectados simultaneamente. Em suma, é um tipo de SimCity ultratecnológico.

Se você, caro leitor, tem interesse em participar do SpatialOS, acesse o site da empresa e divirta-se: https://improbable.io.