De acordo com a Reuters, a mídia oficial norte-coreana – KCNA, Korean Central News Agency, ou Agência Central de Notícias Coreana – informou que Kim Jong-un supervisionou pessoalmente o teste de um novo míssil balístico controlado por um sistema de orientação de alta precisão na segunda-feira (29), e ordenou que o seu regime desenvolvesse armas estratégicas mais poderosas.

O processo de lançamento do novo projétil – que é uma modificação do modelo "Scud", ou "Hwasong", como também é chamado na Coreia do Norte – mostrou-se mais automatizado do que seu antecessor.

Publicidade
Publicidade

Segundo a KCNA, esta característica atualizada reduziu "marcadamente" o tempo de disparo do míssil, que pode inclusive ser realizado a partir de um veículo militar.

Além disso, a mídia norte-coreana afirmou que mesmo após o foguete ter voado por 450 quilômetros em direção ao Japão desde o ponto de lançamento situado em Wonsan, o sistema de orientação aprimorado alegadamente fez com que o projétil caísse a apenas sete metros de distância do ponto-alvo planejado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Militares sul-coreanos confirmaram o sucesso do teste realizado por Pyongyang, e Roh Jae, porta-voz dos Chefes de Estado-Maior da Coreia do Sul, acrescentou ainda que o projétil alcançou uma altitude de 120 quilômetros. No entanto, Seul questionou as alegações da precisão conseguida no lançamento, dizendo que a Coreia do Norte possui algumas restrições técnicas – como, por exemplo, a falta de satélites orientadores – para operar corretamente um sistema tão preciso.

Publicidade

Líder norte-coreano provocou novamente os EUA

Com o lançamento da segunda-feira, a Coreia do Norte já conta com três disparos sucessivos que alcançaram êxito, e o país continua se empenhando para conseguir desenvolver um míssil balístico intercontinental (intercontinental ballistic missile, ou ICBM) que seja capaz de atingir o território continental dos Estados Unidos.

Kim Jong-un se mostrou empolgado com o novo teste, e fez uma espécie de "menção indireta" a um míssil (que possivelmente carregaria uma ogiva nuclear) ou mesmo a um ataque que a nação norte-coreana poderia realizar contra os EUA, afirmando, segundo a KCNA, que tem a convicção de que este "espírito" de progresso armamentista pode impulsionar o regime a "enviar um pacote de 'presentes' ainda maior para os Yankees".

O líder supremo da Coreia do Norte disse ainda que sempre que a notícia de uma "valiosa vitória" acerca de algum progresso atingido por Pyongyang é publicada, os "Yankees" ficam cada vez mais preocupados, e os "fantoches" sul-coreanos controlados pelos Estados Unidos se "desanimam mais e mais".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo