Um reportagem publicada nesta segunda-feira (24), pelo portal de notícias britânico 'Daly Mail', relata que o distrito escolar da pequena cidade ocidental de Oklahoma, nos Estados Unidos, estabeleceu uma ação judicial contra uma Professora de inglês do ensino médio que fez sexo com um estudante da oitava série na sala de aula. A ex-professora, identificada como Jennifer Caswell, de 31 anos, foi condenada a 10 anos de prisão por crimes sexuais em 2015, após uma aparição na televisão no programa de entrevistas "Dr. Phil" para discutir o relacionamento ilícito com o menino.

As escolas públicas de Hollis concordaram em pagar US$ 125.000, cerca de 392 mil reais, para resolver as alegações de que a escola participou da cobertura do abuso sexual de Caswell, disse Charles Watts, advogado da família da vítima.

O jovem não teve o seu nome revelado porque ele é vítima de um Crime sexual. Segundo informações, o pai do estudante processou a acusada, a escola e outras autoridades do distrito escolar em 2015. O pai reivindicou em um processo federal que as notas e as atividades extracurriculares de seu filho caíram devido aos abusos. Segundo o advogado da vítima, relatou que aluno teve sofrimento emocional e humilhação quando seus colegas descobriram que ele foi estuprado pela professora.

"A verdade é que isso tem um efeito terrível para uma criança. Você pode esperar em sua vida futura que ele terá dificuldade com os relacionamentos", disse o advogado Watts. Em uma declaração juramentada, o pai afirmou que a diretora do ensino médio, Marty Webb, acusou seu filho de mentir e lhe disse que ele deveria ter mantido a boca fechada, quando os rumores começaram a se espalhar sobre o relacionamento da professora com o menino.

Os melhores vídeos do dia

O pai testificou que, quando ele se recusou a deixar Webb punir seu filho por supostamente espalhar rumores, o menino foi colocado na suspensão na escola por uma semana.

O advogado da escola, Andy Fugitt, disse que os funcionários relataram o assunto à polícia e ao escritório do advogado do distrito local ao mesmo tempo em que Caswell renunciou. Em junho de 2014, a polícia deteve Caswell no Mississippi depois de encontrá-la em um quarto de hotel com o menino, que estava passando férias de verão com sua mãe. Caswell foi notícia em 2015, quando foi condenada à prisão por acusações decorrentes de seu relacionamento com o aluno, que tinha 15 anos de idade na época.