Nesta terça-feira (8), o mundo retrocedeu aos tempos de guerra, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mandar um recado direto à Coreia do Norte (CN), em entrevista a jornalistas em um clube de golfe, em Bedminster, no estado de Nova Jersey, nos Estados Unidos.

Ele alertou ao governo do lunático Kim Jong-un, 33 anos, que qualquer ameaça aos EUA será respondida com “fogo e fúria como o mundo nunca viu”.

Essa afirmação velada de um ataque nuclear sem precedentes irritou a Coreia do Norte.

De acordo com informações da agência estatal de notícias norte-coreana, KCNA, e do jornal britânico Daily Mail, o país comunista não se intimidou. Disse estar arquitetando uma estratégia para atacar com mísseis (entenda nucleares) a ilha de Guam, um território no Pacífico administrado pelos Estados Unidos – veja as manchetes.

Conforme o porta-voz do Exército norte-coreano, eles estão preparados para retaliar o “país imperialista” - como a mídia oficial da CN costuma se referir a nação mais poderosa do mundo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Nesta terça-feira, Trump, como de costume, além de proferir duras críticas ao regime de Jong-un, também escreveu, no Twitter, que após anos de tentativas fracassadas, o mundo está se unindo para combater a Coreia do Norte.

“Países estão se unindo para finalmente enfrentar os perigos representados pela Coreia do Norte.Temos de ser difíceis e decisivos!”, declarou – confira na íntegra.

Ao ser indagado sobre a ameaça nuclear, por um repórter, o americano, aparentemente irritado, foi direto ao assunto.

“A Coreia do Norte não faz mais ameaças aos Estados Unidos", advertiu.

A conturbada relação entre ambos os países aumentou recentemente, depois dos EUA impor, com sucesso, aos membros das Nações Unidas, novas sanções econômicas a ditadura de Kim Jong-un.

Porém, segundo a agência de notícias da CN, o país pretende revidar as proibições econômicas impostas pelo governo Trump. "A ação física será tomada implacavelmente com a mobilização de toda sua força nacional", reportou a KCNA.

Embora a ameaça nuclear seja uma lembrança remota à maioria das pessoas, o perigo real de uma catástrofe desse tipo é cada vez maior, pois, neste exato momento, o mundo observa dois líderes insanos e egocêntricos tentando destruir o ego um do outro.

É apenas questão de tempo para todos nós “pagarmos o pato”. Afinal, um inverno nuclear é suficiente para acabar com a civilização humana.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo