De acordo com reportagem divulgada no site da rede BBC, 18 pessoas (dezessete homens e uma mulher) foram condenadas pela Justiça britânica por participarem de uma rede de Pedofilia que agia em Newcastle, cidade situada a cerca de 450 km ao norte de Londres. As vítimas – algumas das quais com apenas 14 anos de idade – recebiam álcool e drogas antes de serem forçadas a fazer sexo com seus aliciadores.

Os crimes foram descobertos depois de as autoridades do Reino Unido terem deflagrado o que ficou conhecido como Operation Shelter (Operação Abrigo) – um desmembramento de uma investigação ainda maior chamada Operation Sanctuary (Operação Santuário), que teve início em dezembro de 2013 para apurar relatos de abuso sexual contra meninas e mulheres jovens.

A Operação Santuário, criada pela Polícia de Northumbria, ainda está em andamento, e alcançou uma proporção assustadora: até o momento, as autoridades receberam 703 queixas que levaram a 461 prisões, com 278 vítimas identificadas.

Falando especificamente da Operation Shelter, foram realizados quatro julgamentos envolvendo um total de 26 criminosos (que receberam mais de 100 acusações somadas) e 22 vítimas – 20 das quais forneceram as evidências que levaram à detenção dos envolvidos. Durante o processo, inclusive, foi revelado que a polícia pagou £ 10 mil (mais de R$ 41 mil) a um pedófilo condenado para que ele atuasse como informante.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Curiosidades

Modo de agir

Em sua maioria, os participantes da rede de prostituição infantil desmantelada são britânicos de nascimento. Eles pertencem a comunidades que residem na região de Newcastle conhecida como West End – famosa pela sua multietnicidade – e que são provenientes de Bangladesh, Índia, Iraque, Irã, Paquistão e Turquia.

Primeiramente, os criminosos se aproximavam das vítimas com a intenção apenas aparente de estabelecer amizades, e com o passar do tempo as meninas eram atraídas para festas conhecidas como "sessões", onde eram prometidos acesso a álcool e drogas.

Durante os julgamentos envolvendo estes casos, algumas das garotas abusadas revelaram que ficavam tão entorpecidas que não podiam mais se defender, e justamente nestes momentos elas eram violentadas. Outras relataram que acabaram ficando viciadas, e que para ter acesso às drogas, praticavam atos sexuais com os aliciadores.

Três dos envolvidos nos crimes de pedofilia e fornecimento de drogas já foram presos, e os acusados restantes na Operação Shelter serão sentenciados no mês de setembro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo