Alguns crimes ficam na memória por serem violentos e absurdos. Os criminosos não medem esforços para praticarem algo mais violento a cada dia. Essa história vai lhe deixar com os pelos do corpo arrepiados com tamanha indiferença pela a vida humana. Pois, trata-se nada menos de um crime bárbaro seguido de possível canibalismo.

Um homem foi preso na última semana no momento em que ele estava fazendo uma sopa com o intestino e o fígado de um pastor local conhecido como Samuel Okpara.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Roland Peter, que tem 47 anos de idade, está sendo acusado de canibalismo pela a polícia local. De acordo com as informações do site do jornal britânico The Sun, o suspeito faz parte de uma gangue famosa na Nigéria.

O suposto canibal foi preso em uma região chamada de Ahoad East, no Sul da África.

Roland foi detido no momento que estava cozinhando uma refeição. Segundo o policial Zaki Armed, o canibal estava preparando uma sopa usando órgão de seres humanos. De acordo com Zaki, a intenção do suspeito era servir a refeição para seus amigos que também fazem parte da gangue.

Os restos mortais era de um líder religioso que morava na região. "Além de sequestrarem a vítima, eles mataram, decapitaram o religioso e ainda estavam preparando um prato tradicional na Nigéria com partes do corpo do pastor", contou o policial Ahmed ao The Sun.

Preso acusado de assassinato, Peter vai responder também na justiça, por guardar em sua casa o arsenal de armas da quadrilha, armas que o bando usava nos crimes e para causar terror na região.

Os melhores vídeos do dia

A gangue era liderada por um criminoso que era conhecido na cidade como "Alta Tensão". Esse crime que foi divulgado pelas autoridades locais chocou o país e muitos ficaram tenebrosos com a situação. Segundo a polícia, o acusado está colaborando no desvendamento do crime e contribuído nas investigações.

A defesa do acusado

De acordo com as notícias do Portal Britânico, Peter negou todas as acusações contra ele, ainda falou que é ‘’uma pessoa de Deus’’, e que sempre faz obras humanitárias. "Sou servo de Deus, o Senhor falou que minha cozinha é para todos usufruírem dela. Por isso, sempre deixo que as pessoas venham a minha casa, as portas estarão sempre abertas", respondeu o acusado quando foi questionado para quem ele preparava a refeição.

Além de dar essa declaração, o acusado revelou que na noite que foi preso, um homem que ele não conhece invadiu sua casa e obrigou que ele fizesse comida, sob ameaças que, se ele não fizesse, iria abusar de sua mulher e também matar a família. Sentindo-se coagido, ele resolveu preparar a refeição. De acordo com Peter, o cardápio era peixe. Foi quando os policiais chegaram e o prenderam.

O suposto canibal afirmou que conhecia a vítima, o pastor Samuel Okpara, falou que ele também era um "homem de fé", e fez questão de deixar bem claro que não tem nenhum envolvimento na morte do sacerdote.