2

De acordo com informações divulgadas pelos sites BBC e The Guardian, especialistas em Arte encontraram indícios de que o mestre italiano Leonardo da Vinci (1452-1519) criou, pelo menos em parte, um esboço de sua obra-prima – a mundialmente conhecida "Mona Lisa", também chamada de "La Gioconda" – de um modo um tanto diferente, já nesta versão a mulher [VIDEO] de sorriso enigmático encontra-se nua.

O desenho estava sendo mantido no palácio de Chantilly – mais especificamente, no Museu Conde, situado ao norte de Paris – desde 1862, em meio a uma grande coleção de obras da época do assim chamado Renascimento (período da história europeia que abrangeu desde o século XIV até o século XVI).

Depois de um mês de testes conduzidos no Museu do Louvre, localizado na capital francesa, cientistas concluíram que, de fato, pelo menos uma parte do esboço conhecido como Monna Vanna foi mesmo criado por da Vinci.

Semelhanças entre as obras

A criação da Mona Lisa teve início no ano de 1503, e muitos historiadores da arte acreditam que a modelo representada na pintura seja Lisa Gherardini, nascida em 1479 e esposa de Francesco del Giocondo, um rico comerciante de seda de Florença, na Itália.

O quadro foi trazido para a França no ano de 1506 pelo próprio Leonardo da Vinci, quando ele foi convidado para trabalhar na corte do rei Francisco I. O monarca comprou a tela, que passou por Fontainebleau e pelo Palácio de Versailles, e após a Revolução Francesa (1789-1799) foi levada para o Louvre, onde se encontra até hoje.

Os melhores vídeos do dia

O desenho da Monna Vanna é quase do mesmo tamanho que a Mona Lisa, e segundo o curador do Louvre, Mathieu Deldicque, pequenos buracos perfurados ao redor da figura sugerem que ela pode ter sido usada para que sua forma fosse traçada em uma tela. Além disso, as mãos de ambas as obras de arte são praticamente idênticas, inclusive na posição representada.

Bruno Mottin, especialista em conservação do Louvre, afirmou que o esboço data do período em que da Vinci viveu, possuindo uma "qualidade muito alta", não se tratando de uma simples cópia. Entretanto, ele disse que é preciso ter "prudência" ao atribuir a autoria de todo o desenho ao mestre renascentista, uma vez que, segundo análises, algumas sombras que se encontram perto da cabeça da Monna Vanna foram criadas por uma pessoa destra – e Leonardo era canhoto.

Mottin ressaltou que os pesquisadores esperam estabelecer definitivamente quem foi o autor da obra dentro de dois anos – ainda a tempo de uma exposição que ocorrerá na cidade de Chantilly para comemorar o 500º (lê-se 'quingentésimo') aniversário da morte de Leonardo da Vinci.