O tremor, que atingiu o México nesta terça-feira (19) e teve uma magnitude de 7.1 na escala Richter, foi o que causou o maior número de mortos (217 até esse momento) em um espaço de trinta anos. Os dados são da Agência de Defesa Civil.

Simulação e realidade

O dia 19 de setembro não era um dia como qualquer outro, mas fazia exatos 32 anos do outro Terremoto, que atingiu o país em 1985 e deixou milhares de mortos, além de um prejuízo avaliado em milhões. Portanto, foi feita uma simulação a nível nacional para recordar, e então houve o tremor, o que causou grande confusão e as simulações viraram realidade.

No sul da Cidade do México foi onde ocorreu a maior parte de uma gama de esforços de resgate, pois o que havia ruído sob o tremor foi uma escola, que dava aulas tanto para o ensino primário quanto para o secundário, e o prédio tinha três andares.

Na noite da terça-feira, o Departamento de Educação Federal informou que recuperaram o corpo de 21 crianças no local.

Ainda na noite de terça, o presidente do México, Enrique Peña Nieto fez uma declaração em formato de vídeo, tanto com o objetivo de tranquilizar quanto para informar os sobreviventes do desastre, pois as autoridades responsáveis estão tratando da situação. Segundo ele, o tremor fez com que 40% da Cidade do México perdesse toda a eletricidade, uma consequência terrível quando levada em consideração coisas como o funcionamento de hospitais e de refrigeração de alimentos. O presidente disse que a prioridade era a saúde, resgatando os feridos para que possam ser tratados e também recuperar os corpos, afinal, infelizmente nesse tipo de situação pode haver grande proliferação de doenças.

Tristeza em números

O cenário é de caos, afinal as cidades são formadas basicamente por casas e edifícios, que acabaram ruindo em grande parte, segundo o prefeito da Cidade do México, foram 44 lugares de deslizamento, e o número de mortos é impressionante, mais de 80 na Cidade do México, cerca de 71 pessoas mortas no Estado de Morelos, onde uma igreja ruiu bem próxima ao epicentro do tremor, causando a morte de 12 pessoas. 43 vítimas em Puebla, 12 que tiveram a morte confirmada no Estado de México e outras cinco, até agora.

Segundo o USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos), esse terremoto do dia 19 não teve relação com o outro tremor, que atingiu o sul do país no dia 7 de setembro, que teve uma magnitude de 8,1 graus na escala Richter e deixou ao todo o triste saldo de 90 vítimas fatais.