Primeiro líder a discursar na 72ª Assembleia Geral da ONU, o presidente brasileiro Michel Temer (PMDB) afirmou que o país está reduzindo seu índice de desmatamento, destacando que dados do ano passado indicam redução de 20% no desmatamento da Amazônia. O discurso do presidente foi realizado nesta terça-feira, dia 19, na sede da Organização das Nações Unidas [VIDEO], em Nova York.

Além do tema do desmatamento, Temer afirmou que o Brasil está mais aberto ao mundo, afirmando que as reformas que estão sendo colocadas em prática por seu governo irão auxiliar o país neste objetivo. O presidente brasileiro também cobrou uma maior abertura da ONU, pleiteando que a organização amplie seu Conselho de Segurança, no qual o Brasil busca uma vaga há alguns anos.

Entre outros temas, Temer também falou sobre a instável situação da Coreia do Norte, afirmando que a crise motivada pelos experimentos nucleares do país asiático é uma ameaça a qual ninguém pode ficar “indiferente”. O presidente brasileiro também cobrou um “urgente encaminhamento pacífico” para a questão, abordada também pelo presidente norte-americano Donald Trump.

Além da Coreia do Norte, Temer também falou sobre a Venezuela, destacando que o Brasil tem recebido refugiados do país, além de sírios e haitianos. Também em seu discurso, o presidente criticou a deterioriação dos direitos humanos do vizinho sul-americano, destacando que o Brasil está “ao lado do povo venezuelano”.

Outro tema também abordado por Temer foi a negociação de tratados de paz entre Israel e Palestina, defendendo ambos os estados, além de falar também sobre assuntos internos, como direitos humanos.

Segundo o peemedebista, o Brasil é um país livre e com “diversidade de etnia, de cultura, de credo e de pensamento”.