Nesta terça-feira (19), a região central do México foi castigada por um poderoso terremoto de 7,1 graus de magnitude [VIDEO] que colocou abaixo edifícios, ceifou pelo menos 149 pessoas, levantou grandes nuvens de poeira e trouxe pânico aos mexicanos. Muitas pessoas ajudaram a resgatar os que estavam presos nos escombros. O número de mortos foi anunciado pelo chefe da Agência Nacional de Defesa Civil (ANDC), Luis Felipe Puente.

Dezenas de edifícios caíram e formaram grandes montes de destroços, outros tantos ficaram danificados na densamente povoada Cidade do Médico, bem como em cidades e estados vizinhos. O prefeito Migual Angel Mancera disse que os edifícios caíram sozinhos em 44 lugares da capital.

As equipes de resgate, horas após o Terremoto, buscam por sobreviventes numa escola primária parcialmente destruída ao sul da Cidade do méxico. Duas meninas foram encontradas. Segundo notícias, este terremoto está sendo considerado o mais mortal no México desde um terremoto de magnitude 8,0 em 1985 (no mesmo mês), que matou milhares também na Cidade do México.

O chefe da ANDC, Luis Felipe Puente, deu conta, ainda, que 55 pessoas morreram no estado de Moreios, ao Sul da Cidade do México, enquanto 49 morreram na capital e 32 no estado de Puebla, onde o terremoto estava concentrado. Dez pessoas morreram no Estado do México, que abarca a Cidade do México em três lados, e três morreram no estado de Guerrero, disse Puente.

O governo mexicano declarou Estado de Desastre na Cidade do México, o que autoriza a liberação de fundos de emergência.

O presidente Enrique Pena Nieto disse que havia ordenado que todos os hospitais abrissem suas portas aos feridos.

O prefeito da Cidade do México, Mancera, informou que 50 a 60 pessoas foram resgatadas com vida por cidadãos e trabalhadores dos serviços de emergência na capital mexicana. As autoridades disseram, ainda, que, na capital, pelo menos 70 pessoas feridas foram hospitalizadas.

Segundo informou o Ministro do Interior, Miguel Angel Osorio Chong, há várias pessoas presas nos escombros dos edifícios que vieram abaixo. É um trabalho bastante lento e que requer muita coragem e paciência das equipes de socorro. O ministro ressaltou que este trabalho "tem que ser feito com muito cuidado" e que "o tempo é contra nós".

Depoimentos

A cada pessoa retirada dos escombros [VIDEO] é uma emoção muito grande para todos que lá se encontram. No entanto, as equipes de resgate pediam silêncio ao público para que pudessem ouvir as pessoas presas nos escombros.

A nutricionista Mariana Morales, de 26 anos, foi uma das voluntárias no resgate.

Ela relatou aos jornalistas que estava num táxi quando o terremoto ocorreu, e ela saiu e sentou-se numa calçada para se recuperar do susto. Neste instante viu um prédio de três andares caírem a poucos metros de onde se encontrava sentada.

Carlos Mendoza, 30, coberto de poeira, disse que conseguiu, com outros voluntários, retirar duas pessoas com vida das ruínas de um prédio. Este trabalho durou cerca de três horas.

Gala Dluzhynska estava numa aula com mais 11 mulheres no segundo andar de um prédio na rua da moda Alvaro Obregón, quando o terremoto atingiu e os painéis de janelas e tetos caíram quando o prédio começou a se separar.

Ela declarou ter caído numa escada e as pessoas começaram a pisoteá-la, até que alguém finalmente a puxasse para cima. "Não havia mais escadas. Havia rochas", disse.

Medo e interrupção de serviços

O terremoto fez com que as pessoas fugissem de suas casas e escritórios em toda a cidade, bem como muitas pessoas permaneceram nas ruas por horas, com medo de retornar às estruturas. Os alarmes dispararam e o trânsito parou em torno do monumento do Anjo da Independência, na emblemática Avenida Reforma.

As redes elétrica e de telefonia celular foram interrompidos em muitas áreas e o trânsito de veículos ficou engarrafado quando a iluminação foi interrompida e ficaram às escuras. Em Jojutla, uma cidade no estado vizinho de Morelos, a prefeitura, uma igreja e outros edifícios caíram e 12 pessoas foram mortas.

O aeroporto internacional da Cidade do México suspendeu as operações e estava verificando instalações para danos. O novo terremoto parecia não estar relacionado com a magnitude 8,1, que atingiu, em 7 de setembro, a Costa Sul do México e também foi fortemente sentida na capital.

Periodicidade de terremotos

Paul Earle, sismólogo do Geological Survey, dos Estados Unidos, observou que os epicentros dos dois terremotos estavam a 400 milhas (650 quilômetros) de distância e disse que a maioria das réplicas está dentro de (60 milhas) a 100 quilômetros.

Houve 19 terremotos de magnitude 6,5 ou maiores dentro de 150 milhas (250 quilômetros) do terremoto desta terça-feira no último século, disse Earle. A Terra geralmente tem em torno de 15 a 20 terremotos desse tamanho ou maior a cada ano, completou Earle. Os cálculos iniciais mostraram que mais de 30 milhões de pessoas sentiram tremores moderados deste terremoto.