Se você tem muito dinheiro sobrando, saiba que uma das mais importantes revistas que trata sobre cultura e música está à venda a partir desta segunda-feira (18). A Rolling Stone, que completará 50 anos no mês de novembro, está procurando um novo dono. A informação foi confirmada pelo próprio criador da publicação, o norte-americano Jann Wenner, de 71 anos.

De acordo com ele, o grupo Wenner Media espera encontrar um comprador "com muito dinheiro" para assumir o controle majoritário da Rolling Stone. Ainda em 2016, o grupo havia vendido 49% das ações de controle da revista para o grupo Banland Technologies, sediado em Cingapura.

O fundador ainda afirma que a venda faz parte do plano para que a revista mantenha-se como uma marca forte e continue crescendo.

"A Rolling Stone tem um papel muito importante para a nossa época, tanto socialmente quanto politicamente e culturalmente. Nós queremos manter essa posição", afirmou Wenner em entrevista ao jornal norte-americano New York Times.

O motivo da venda da Rolling Stone pode ser outro

Conforme informações de publicações norte-americanas, Jann Wenner pode estar se desfazendo da revista clássica por não estar mais tendo sucesso economicamente, como tinha antigamente. A Rolling Stone não será a primeira revista vendida pelo Wenner Media nesta década. Recentemente, o grupo vendeu a gigante publicação US Weekly para o American Media Inc (AMI), que é proprietário de revistas como a National Enquirer.

O que impressionou na negociação é que o preço da venda foi de US$ 100 milhões (R$ 313 milhões), nem 50% do que Wenner gastou em 2006 para comprar a US Weekly da Disney (o valor foi de US$ 300 milhões, o equivalente a R$ 939 milhões).

Além disso, em junho deste ano, o grupo de Jann Wenner se desfez também da Men's Journal, outra forte publicação nos Estados Unidos. No entanto, nesse caso, os números das negociações ainda não foram revelados. Os problemas do criador não param por aí. Atualmente, a redação da Rolling Stone ocupa apenas uma pequena sala em Nova Iorque. Os últimos números de compra e acesso mostram também que a audiência da revista está em baixa. As vendas diminuíram 10% e os acessos ao site em 28%.

Ao que tudo indica, o que Jann Wenner está fazendo é se retirar dos negócios; A hipótese foi levantada após entrevista de Gus Wenner, filho do fundador. "Pensando em um longo período, eu não quero estar em um mundo de negócios em que a receita depende apenas de anúncios com tudo mudando tão rapidamente", afirma Gus, que também é chefe-executivo do Wenner Media.