Em 2 de outubro, Bryant Johnson, 27 anos, foi preso na cidade de Casper (Wyoming, EUA), após assustar moradores de uma casa, alegando que era um viajante do tempo enviado ao passado por alienígenas. Clique AQUI [VIDEO] para conhecer a história.

Porém, tudo indica que esse comportamento excêntrico está ganhando adeptos nos Estados Unidos [VIDEO]. Três dias depois foi a vez de Anouphong Inphachack, 31, morador de Sheboygan (Wisconsin), ser preso por vandalizar uma propriedade repetidas vezes durantes as últimas três semanas. Tudo a mando dos ET´s, é claro.

De acordo com o jornal USA Today - um dos mais lidos no país -, autoridades disseram que o esquisitão estava com um machado.

Ele também pichou as letras ‘DNA’ na casa recém adquirida pelos novos proprietários, além de quebrar a van da família e a janela da cozinha com um skate – veja a manchete.

Indagado pelas autoridades, Inphachack revelou que os antigos proprietários eram seus “alvos”. Ele não sabia que a casa foi vendida para outras pessoas. Sobre a motivação dos atos praticados, o rapaz argumentou que foi infectado por vírus alienígena do espaço exterior e que os aliens o obrigavam a depredar a residência.

O norte-americano ainda fez outra bizarra declaração sobre a influência extraterrestre no planeta. Segundo ele, “alienígenas estão mudando as dimensões o tempo todo.Preparando as pessoas para um período ruim”.

Os melhores vídeos do dia

Sem demonstrar receio ao proferir as delirantes declarações, ele acrescentou que o tal vírus alienígena serve para auxiliar na evolução da humanidade. Disse também ter pichado as letras DNA como forma de alertar que os ET´s modificaram seu material genético (pode isso, Arnaldo?).

Doente mental

Indagada pela polícia, a família do acusado revela que ele é esquizofrênico e toma remédios para controlar as crises. De acordo com os pais de Inphachack, o filho havia recusado a medicação. Há dias o ‘contatado’ estava sem comer ou dormir.

Os pais do rapaz ainda agradeceram aos oficiais por levarem o filho à prisão preventiva. Eles temiam as consequências das atitudes do homem que, sem tomar os remédios, estava fora de controle.

Apesar da doença mental, tudo indica que ele é considerado imputável - capaz de responder pelos próprios atos.

Autoridades fizeram duas acusações de contravenção grave pelo uso de graffiti, duas acusações de danos criminais à propriedade e uma acusação de contravenção por carregar uma arma escondida, o machado.

Ao que parece, somente uma ‘abdução alienígena’ poderá livrar Inphachack de passar um tempo no ‘xilindró’.