Katie Potter contou como foi maltratada por seu pai, desde as cinco semanas de idade. Seu pai, Colin, foi preso por duas vezes, pelos maus tratos a sua filha, mas, por duas vezes, os assistentes sociais lhe entregaram de volta a pequena Katie. De volta para o mesmo pesadelo, que se foi agravando com o tempo. Das torturas e agressões, ele passou para os abusos de sua intimidade e estupros [VIDEO]. Seu pesadelo durou anos, até que ela ganhou coragem e, apoiada por seu namorado, conseguiu denunciar seu pai. Agora, ele foi finalmente condenado por todo o mal que lhe provocou, durante toda a sua vida.

Esta semana, Katie, agora uma assistente de vendas de 29 anos, viu seu pai ser condenado a uma pena de 22 anos de cadeia, três anos menos do que ela passou sendo estuprada e torturada em suas garras sádicas, no País de Gales.

"Minha infância foi uma tortura total. No entanto, as coisas poderiam ter sido tão diferentes. Não consigo entender por que meus assistentes sociais me enviaram de volta para viver com meus pais, quando souberam o quão ruim era o abuso físico. Eu poderia ter morrido. O abuso foi horrível, mas não me atrevi a protestar porque eu teria sido espancada", disse a jovem Katie, agora que seu pai foi finalmente condenado por anos de Abusos e maus tratos.

Katie conseguiu se libertar de seu pai, e agora está planejando tomar ações legais contra as autoridades que poderiam tê-la poupado a uma vida de inferno, se a tivessem entregue para adoção, quando ela era bebê. Os assistentes sociais viram que Katie tinha cortes e hematomas regularmente, e que foi tratada no hospital por queimaduras e crânio fraturado.

No entanto, eles nunca libertaram essa menina de todo esse sofrimento.

Como os abusos começaram

Seu pai foi primeiramente condenado por danos corporais, logo após o nascimento de Katie, em 1988. Foi uma tia da menina que chamou a polícia, quando a criança precisou ficar uma semana no hospital com hematomas no rosto, orelha, bochecha e abdômen, além de ter cortes em seu rosto e em uma perna. Ele ficou preso por quatro meses, mas regressou a casa, para junto de Katie.

Três anos depois, ele foi considerado culpado no tribunal de Cardiff por lesões corporais e negligências reais. Desta vez, ele apanhou uma pena de 23 meses, e Katie foi colocada em cuidados adotivos. Quando saiu da cadeia, Potter lutou para reaver a guarda de sua filha, que conseguiu no ano seguinte. Um tribunal decidiu que a menina de oito anos poderia ir para casa.

Pouco depois, recomeçava seu pesadelo, com a menina sendo agredida por qualquer motivo. Quando ela completou 13 anos, os serviços sociais já não acompanhavam sua família, e começaram aí os abusos íntimos e estupros [VIDEO].

"Eu era tão pequena, e esses abusos me deixavam tão dolorida, mas se eu protestava, eu sabia que ele me espancaria. Ele chamava de 'nosso pequeno segredo'. Isso me fazia sentir mal do estômago", recordou Katie.

O pesadelo de Katie continuou e mesmo quando ela começou a trabalhar, ele a perseguia, não deixando que ela se aproximasse de ninguém. Se ela se atrasava um minuto que fosse, ele lhe bateria. Em 2013, ela começou a namorar Alan Griffiths, e foi ele quem encorajou Katie a denunciar os abusos de seu pai.

No tribunal, ficou agora tudo provado, e seu pai foi condenado. A seu lado, esteve sempre a mãe de Katie, que, apesar de tudo, continuou apoiando o marido, virando as costas, uma vez mais, a sua filha.