Para quem acreditou que o terrorismo tinha acabado unicamente porque os noticiários se dividem em falar sobre as polêmicas da política nacional e o constante conflito de egos entre Donald Trump e Kim Jong-Um, foi surpreendido nesse fim de semana.

Segundo a ONG SITE Intel Group, foi interceptada uma imagem onde o Daesh, que já havia publicado uma foto de Messi atrás das grades para ameaçar a realização da Copa na Rússia em 2018, mostra uma fotos de dois prisioneiros, onde um deles tem o nome de Neymar.

As imagens ameaçando os dois jogadores foi divulgada pela Fundação Wafa, que é conhecida internacionalmente como uma mídia que trabalha para o Estado Islâmico, na divulgação de ameaças e execuções.

Rita Katz, do SITE Intel Group, disse que a ameaça não é isolada aos dois jogadores, mas que integram uma série de intimidações do grupo, contra a realização da Copa de 2018.

Antes disso, os jihadistas já haviam divulgado imagens de um campo de futebol, falando que eles que decidiriam como seria a batalha, bem como de uma taça da Copa de 2018 pegando fogo, sob a ameaça que queimariam os inimigos de Alah na Rússia 2018.

Dia 15 de outubro, o Instituto Memri informou que a Wafa divulgaria várias ameaças contra a Copa do Mundo daqui até a realização do campeonato mundial. Na imagem da primeira ameaça, um terrorista apareceia encapuzado com um explosivo acesso nas mãos, sob a legende de “esperem-nos”.

A Rússia é o território mais próximo dos grandes centros de treinamento do Daesh. O grupo tem uma rixa pessoal com a Rússia, por conta dos bombardeios feitos pelo país de Putin, em apoio ao governo da Síria.

O Estado Islâmico também possui lobos solitários espalhados pelo mundo todo.

O que são lobos solitários?

Os lobos solitários, como o grupo terrorista chama, são combatentes jihadistas que vivem em seus países de origem, longe de qualquer suspeita e que estão dispostos a matar pessoas e tirar a própria vida em nome do grupo que prega o islã radical, matando inclusive muçulmanos que não concordam com as mensagens de ódio [VIDEO] propagadas por eles.

O grupo atrai milhares de pessoas todos os anos, com a promessa de dinheiro fácil e santidade. De fato, quem sobreviveu ao grupo, diz que eles possuem poder financeiro, o que explica o arsenal de guerra que os combatentes dispõem, entretanto, a rotina é de ódio, autoritarismo e morte. Crianças, idosos e enfêrmos são assassinados publicamente, seja por não servirem para nada, seja por serem de religião distinta ou simplesmente se recusarem a fazer o que os combatentes exigem.

No ano passado, a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência), identificou diversas pessoas ligadas [VIDEO] ao Estado Islâmico no Brasil. Um homem chegou a ser preso, com base na lei de segurança nacional.