Os médicos sempre alertam seus pacientes sobre a importância dos exercícios físicos. Todavia, independente da atividade que escolher, é sempre aconselhável pedir orientação a um profissional capacitado. Fazer exercícios exaustivos sem o devido acompanhamento pode ser até mais perigoso que o próprio sedentarismo.

Mas mesmo com os devidos cuidados, acidentes podem acontecer. Um triste fato foi noticiado pela imprensa colombiana sobre o Fisiculturista Rodolfo Alexis Torres Roja, de 31 anos. Ele estava se preparando para disputar um campeonato quando lesionou o músculo tríceps. [VIDEO]

Rodolfo atualmente morava na cidade de Perm, na Rússia.

Ele se mudou para o país em 2016 para se casar. Seu pai, que ainda mora na Colômbia, disse que o incidente aconteceu quando ele estava treinando. Rodolfo Torres relata que, durante um dos exercícios, o filho sentiu uma forte dor no braço. Pensando ser uma dor normal, ele foi para casa e descansou o restante do dia. Na madrugada do dia seguinte, Rodolfo viu que seu braço estava inchado e sangrando. Assim, ele decidiu procurar um hospital.

O pai disse que o médico fez uma pequena incisão para fazer a retirada do sangue acumulado. Após o procedimento, Rodolfo foi liberado para ir para casa. No entanto, voltou outros dias para fazer a troca do curativo e para os médicos acompanharem a cicatrização. Em uma de suas idas ao hospital, Rodolfo não voltou mais para casa. O médico o internou na UTI [VIDEO] (Unidade de Terapia Intensiva) no dia 4 de outubro com tontura, taquicardia e dor.

O machucado havia infeccionado.

Torres também acredita que houve negligência médica no caso do filho. Para ele, os médicos deveriam ter dado uma maior atenção ao caso de Rodolfo.

O pai do fisiculturista disse que não foi a lesão que matou seu filho, mas, sim, uma infecção generalizada. Eles disseram que durante as idas do filho ao hospital, o atleta deve ter contraído algum tipo de bactéria mais grave, o que levou a uma infecção generalizada. Rodolfo chegou a ficar 20 dias internado.

Agora com a morte de Rodolfo, a família luta para conseguir trazer seu corpo para a Colômbia. Porém, a situação financeira da família está sendo o principal obstáculo. O transporte do corpo da Rússia até a Colômbia custa 60 milhões de pesos colombianos, o que é o valor equivalente a R$ 65 mil.

Devido aos altos custos de transporte do corpo, é possível que Rodolfo seja enterrado na Rússia. Até o momento da publicação desse artigo, o hospital que atendeu Rodolfo não fez nenhum comunicado a respeito da morte do rapaz.