Uma Mulher foi encontrada morta, em um crime com contornos extremamente violentos. A mulher foi encontrada em um apartamento, na França, após ter sido assassinada, com 53 facadas. O crime deixou logo o apontameno para um comportamento enraivecido, pelo número de facadas disferidas e, cerca de dois meses depois, a polícia francesa chegou a Yves Chanal, de 36 anos, e principal suspeito pela morte de Telma da Silva Messias, uma mulher portuguesa, que trabalhava de prostituta [VIDEO] na França.

O caso foi revelado em 2015, mas o julgamento só começou nessa semana. Yves Chanal é o suspeito único pelo assassinato dessa mulher, e ele já declarou perante o juiz.

O homem manteve a mesma história que ele já havia contado para a polícia, quando fizeram uma reconstituição do crime, relembrando o que aconteceu nesse violento Réveillon.

Yves teria preparado sua festa de passagem de ano, de 2014 para 2015, de uma forma um pouco diferente. Sem explicar porquê, ele resolveu contratar os serviços de uma prostituta para esse evento. Foi aí que ele chegou em Telma, uma mulher de 44 anos, que estava se prostituindo na França, na cidade de Epinal. A mulher combinou então se encontrar com o homem e, supostamente, eles definiram logo o preço. Ela estava cobrando 150 euros (sensivelmente R$ 560) por uma hora de sexo, com esse homem.

No entanto, após iniciar o programa, as coisas teriam se alterado. E apenas dez minutos após começar com o 'serviço', ela disse que se ia embora.

O homem não explicou a motivação da mulher, para abandonar o program logo no início, revelando apenas que ficou furioso e foi aí que descarregou toda sua fúria sobre ela. Ele pegou em uma faca de cozinha e cometeu esse crime brutal, golpeando a mulher por 53 vezes.

Após o crime, ele colocou lençóis sobre ela e deixou a casa. Dez dias depois, os vizinhos começaram notando um cheiro nauseabundo e resolveram dar queixa na polícia, que logo iniciou uma investigação. Chegados na casa, eles encontraram o corpo de Telma, coberto por lençóis ensanguentados e confirmaram o óbito. Porém, só dois meses depois é que eles conseguiram prender Yves Chaval, que está justificando seu crime, por não ter ficado satisfeito com o serviço da prostituta, que não teria cumprido o acordo até o final.

Telma trabalhava nessa cidade há aproximadamente um ano, como prostituta, e deixou órfãos de mãe a três filhos menores. Sobre o agressor não se sabe muito sobre sua vida e família, mas o homem poderá ser condenado a prisão perpétua, uma vez que ele mesmo confessou seu crime. O tribunal deve declarar a sentença ainda nessa semana.