Você já ouviu aquela máxima “onde há fumaça, há fogo”? Pois é, para pesquisadores médicos da Escola de Medicina da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, sim. Eles descobriram, em uma pesquisa que durou do ano de 2002 à 2015, que a média diferencial de sexo [VIDEO] de quem usa maconha para quem não usa chega a uma marca de 20%. O estudo foi publicado nesta última sexta-feira, 27, no periódico científico 'Journal of Sexual Medicine'. Cientistas californianos chegaram à tal conclusão após analisar cerca de 50 mil norte-americanos com idade de 25 a 45 anos, a partir da Pesquisa Nacional de Crescimento Familiar. A pesquisa, inclusive, tem o apoio do Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Governo Federal Americano.

A pesquisa aconteceu da seguinte maneira: cientistas foram entrevistar usuários de maconha e pessoas que não fazem uso da planta e perguntaram a ambos quantas vezes fazem sexo por semana [VIDEO] e, em uma das respostas da pesquisa, percebe-se que homens maconheiros fazem sexo cerca de 6,9 vezes em quatro semanas. Já os que não fazem uso da planta fazem em torno de 5,5 vezes a cada 32 dias.

O principal autor do estudo em questão, o doutor Michael Eisenberg, disse que a pesquisa foi além e descobriu que as pessoas que usam a maconha chegam a fazer sexo cerca de 20 por cento a mais do que quem não usa, de acordo com a pesquisa americana. Ele ainda explicou que, para muitos homens e mulheres [VIDEO], chegar a fazer cerca de 20 vezes mais sexo é algo que pode influenciar na felicidade do casal, caso a atividade seja saudável e em conformidade com o respeito mútuo.

Einsenberg explicou que o sexo é algo fundamental para a felicidade de um casal, caso o mesmo escolha ter essa atividade como algo importante.

Maconha é liberada em vários estados dos EUA

Nos Estados Unidos, apesar de alguns estados não permitirem o uso recreativo da maconha – lá os estados têm autonomia em aceitar ou não o uso da droga – cerca de 29 estados já decretaram que o povo pode usar maconha como forma de cura para algumas doenças e também para fazerem uso da mesma recreativamente. Eisenberg também disse que de acordo com uma pesquisa, cerca de 64 por cento dos americanos concordam que o uso da droga deva ser liberado em todos os estados da federação.

Apesar de que em países como Estados Unidos, Uruguai e Holanda o uso da maconha em locais reservados, não públicos, e de forma recreativa já seja liberada, aqui no Brasil ela é vista como uma droga ilícita. E mais: o usuário de maconha, caso seja pego pela polícia, pode ir preso e pagar duras penas por causa do consumo da mesma.

E você? O que achou da pesquisa americana sobre a maconha e a atividade sexual dos americanos? Deixe a sua opinião.