Na madrugada de sexta-feira (13), Lamora Williams, 24 anos, mãe de quatro crianças, matou os filhos Ja'Karter Williams, 1 ano, e Ke'Younte Penn, 2, da forma mais cruel possível: cozinhando-os vivos dentro do forno. Registrado na cidade de Atlanta (Geórgia, EUA), o crime mobiliza a sociedade norte-americana e repercute em jornais de todo o globo.

A mulher, mãe solteira, ainda fez questão de filmar as crianças carbonizadas e enviar o vídeo ao pai dos meninos, Jameel Penn, que alertou as autoridades.

“Williams chamou o pai dos meninos [na] sexta-feira à noite para mostrar-lhe o vídeo ao vivo da cena do crime - incluindo as crianças queimadas no chão”, conta Max Jaeger, jornalista do New York Post.

Em declaração à imprensa dos Estados Unidos [VIDEO], Penn confessa estar perturbado com o desumano ato praticado pela ex-mulher. “Eu não tenho mais alma. Ja'Karter e Ke'Younte [eram] meu mundo. Estou perdido”, disse o pai, no sábado (14).

Ao ser presa, Lamora não confessou o homicídio. Argumentou que na data das mortes tinha saído de casa e deixado as crianças com uma babá na residência. Porém, quando retornou os filhos estavam mortos. Contudo, não soube explicar como eles acabaram naquela situação.

Ainda que problemas psicológicos não devam ser usados para amenizar crimes hediondos, familiares da mulher disseram às autoridades que ela sofre de transtorno mental.

Entretanto, não souberam dizer o tipo da doença que aflige Lamora.

De acordo com os investigadores, que recolheram o fogão para análises, de alguma forma ela colocou os dois meninos no forno entre a meia-noite de quinta-feira e 11 horas de sexta-feira. A data exata ainda é desconhecida. Porém, ela ligou o forno e assistiu a agonia dos menores, que queimaram vivos.

As filhas sobreviventes, duas meninas de 6 e 3 anos, foram morar com membros da família.

Doença mental agravada após tragédia familiar

Amigos e parentes de Lamora confidenciam que após a morte do pai, quando ela tinha 19 anos, sua saúde mental declinou.

Neesa Smith, amiga de infância, destaca que a mulher abandonou o emprego por não achar pessoas para cuidar das crianças. No entanto, ela nunca deixou transparecer a dificuldade vivenciada.

“Ninguém poderia dizer o que ela estava passando”, disse Neesa ao Atlanta Journal Constitution.

De acordo com a amiga, ainda na sexta-feira a mulher confessou a ela o assassinato dos filhos. O primeiro julgamento aconteceu na segunda-feira (16), mas Lamora faltou a audiência.