3

Segundo informações disponibilizadas pelo site Siberian Times, uma proeminente modelo russa, de apenas 14 anos de idade, faleceu após ter desfilado durante 13 horas seguidas em Xangai, na China.

O incidente se desenrolou na quarta-feira (25), enquanto Vlada Dzyuba trabalhava em show no qual designers asiáticos expunham as suas criações, e durante o evento a adolescente mostrava evidentes sinais de que não estava se sentindo bem. Mesmo assim, ela continuou com o seu dever, e enquanto esperava nos bastidores para realizar mais uma entrada na passarela – igual a tantas outras já feitas –, sua temperatura corporal subiu repentinamente, e minutos depois a garota perdeu os sentidos.

Uma ambulância foi chamada às pressas para o socorro, mas o estado de saúde da adolescente era tão crítico que ela entrou em coma. A situação permaneceu assim por dois dias, mas Vlada acabou perdendo a vida em um hospital na sexta-feira (27), onde médicos realizaram exames preliminares e constataram que a causa da morte foi meningite associada à exaustão severa.

Contratos de "trabalho escravo"

Um agravante no caso de Vlada Dzyuba é que mesmo trabalhando sob as cláusulas de um contrato legal de duração de três meses – tempo no qual a modelo precisou faltar às aulas que frequentava em uma escola da cidade de Perm, situada na região dos montes Urais –, o tratado não cobria seguro médico, e até o momento, não se sabe quem é o responsável por esta falha.

A garota possuía um "curador pessoal", conhecido como Dmitry Smirnov, e ainda não está claro qual foi o papel desempenhado pelo homem no momento em que Vlada precisou de cuidados urgentes.

A respeito do trágico incidente, a mãe da modelo, Oksana Dzyuba, concedeu uma entrevista a uma emissora da Rússia [VIDEO] conhecida como NTV, onde afirmou emocionada que a filha ligou várias vezes para ela dizendo que estava muito cansada e que queria dormir. Oksana até tentou obter um visto às pressas para ir encontrar-se com a menina, mas os trâmites burocráticos não foram completados a tempo.

De acordo com o Siberian Times, a China tem recrutado um número crescente de modelos russas muito jovens – especialmente da região da Sibéria – para aparecerem em desfiles. A carga horária oficial de trabalho estabelecida para Vlada, por exemplo, era de apenas três horas por semana devido à sua pouca idade (a mesma que vigora na Rússia), e o incidente envolvendo a morte da garota levantou sérias questões a respeito da atuação infantil na indústria da moda, onde vigorariam, obscuramente, "contratos de trabalho escravo".

Os familiares de Vlada estão apelando para que diplomatas russos obtenham respostas sobre as reais condições de vida da modelo na China, e temem que o "desejo de lucrar" com a carreira da adolescente não tenha levado em conta os cuidados básicos com seu bem-estar.