6

Segundo informações disponibilizadas pelo site Mail Online, nesta quinta-feira (26) uma mulher foi condenada pela justiça do Reino Unido à prisão perpétua por ter assassinado a própria irmã de forma extremamente violenta, em uma tentativa de se "apossar" do cunhado.

O incidente, que aconteceu no dia 23 de maio de 2016, envolveu as irmãs Sabah (27) e Saima Khan (34), que moravam em uma casa situada na cidade de Luton, Inglaterra, juntamente com os seus pais, os quatro filhos da vítima e o marido dela. Na referida data, Saima havia saído para trabalhar como cuidadora de uma idosa por volta das 22h:15min no horário local, mas recebeu uma mensagem de texto de Sabah meia hora depois, onde a mulher alegava que uma das crianças de sua parente estaria chorando sem parar, e que por isso ela deveria retornar rapidamente para a residência.

Naquele momento, Sabah era a única adulta no local, pois os outros familiares estavam presentes em um funeral que estava acontecendo em uma mesquita localizada nas proximidades, e os filhos de Saima se encontravam dormindo no andar de cima do domicílio.

Crime planejado

Atendendo ao chamado, a vítima regressou para a propriedade às 23h:07min, e encontrou as luzes do corredor térreo da casa apagadas. Ela chegou a iluminar o recinto, mas 45 segundos depois as lâmpadas foram desligadas novamente – e foi justamente neste momento que Sabah, se escondendo na escuridão, começou o cruel ataque contra a irmã.

A assassina usou uma faca de cozinha que ela havia comprado dois dias antes, e durante oito minutos, atacou Saima com tanta fúria que decepou uma de suas mãos – além de quase ter decapitado a mulher no momento em que sua garganta foi cortada.

Depois disso, a criminosa tirou as roupas de sua parente – que já estava morta – e continuou atacando, produzindo um total de 68 ferimentos no corpo, incluindo braços, crânio e rosto.

Depois do ataque, Sabah simulou um roubo de domicílio quebrando o vidro de uma das portas da casa e ligou para a polícia. Quando os agentes da lei chegaram ao local, se depararam com a mulher aparentemente perturbada por ter "encontrado" o cadáver de sua irmã.

Revelando a verdade

De início, as autoridades investigaram as alegações de Sabah Khan, mas oito dias depois do incidente ela foi presa, quando os investigadores fizeram uma busca na residência e encontraram a arma usada no crime dentro do quarto da assassina, escondida em um saco de lixo.

Durante o julgamento, foi revelado que a criminosa estava tendo um caso com seu cunhado, Hafeez Rehman, há cerca de quatro anos. A dupla mantinha relações sexuais tanto no táxi de Rehman quanto na casa da família, quando Saima saía para trabalhar.

Sabah, que antes do crime havia feito buscas na internet pelos termos "como contratar um assassino" e "16 passos para matar alguém e não ser pego", chegou a engravidar do cunhado, mas acabou abortando a criança.

Em um uma declaração lida no tribunal onde o caso foi julgado, Rehman afirmou estar "completamente envergonhado" por ter mantido uma relação com a irmã de sua esposa, e ressaltou que nunca havia imaginando que a cunhada seria capaz de fazer algo tão terrível.

Diante de todas as provas e da confissão do delito, o juiz do caso, Christopher Moss, estabeleceu a sentença de prisão perpétua para Sabah, acrescentando ainda que a condenada só poderá fazer um apelo à justiça sobre uma possível alteração em sua pena após 22 anos de detenção.