Lauren Jordan, uma mãe de 23 anos, estava cansada, depois de um dia agitado, quando se deitou junto com seu bebê recém-nascido. O pequeno Harrison ainda estava acordado, e ela queria adormecê-lo e, depois, logo o colocaria em seu berço. No entanto, sua intenção não passou disso mesmo e ela logo adormeceu junto com o menino e Kieran Jones, seu parceiro de 22 anos, pai de seu filho. Eles acordaram algumas horas depois, quando o pior já havia acontecido. O caso aconteceu em Crowborough, East Sussex, e está servindo como alerta para todos os pais de recém-nascidos.

Para Lauren, seu mundo ruiu no momento em que acordou e percebeu que seu filho não respondia.

Eles ainda tentaram reanimar o menino, tentando várias manobras de reanimação durante quinze minutos, até os paramédicos chegarem. Na verdade, Lauren sabia que o pior já havia acontecido, assim que olhou para o menino. "Eu poderia simplesmente dizer por sua cor que ele não estava respirando, ele não estava quente, mas ele não estava frio", disse a mãe. "Eu simplesmente sabia e comecei gritando: 'não, não'. Naquele momento, eu acordei Kieran", relembrou ela o momento em que percebeu que seu filho estava morto.

O casal está agora no tribunal, se explicando, por essa enorme tragédia. Apesar de todos sentirem sua dor, esse inquérito faz parte, mas está sendo desolador para eles relembrarem esse infeliz episódio, precisando contar cada detalhe do que aconteceu nessa noite.

Lauren contou que eles haviam dado o leite para o menino, mas que ele não dormia.

Seriam por volta das 22h30, quando ela resolveu colocá-lo entre o casal, para ele adormecer, enquanto eles assistiam um pouco de TV. "Acordei às 4 da manhã. Olhei para o seu berço, pensando que Kieran o tivesse colocado lá", relembrou Lauren. Infelizmente, eles haviam adormecido os dois, e o menino ficou no seu meio.

O médico patologista Mudher Al-Adrani concluiu, em seus exames, que a morte de Harrison foi acidental e disse que se tratou de uma "morte inexplicada na infância", mas era possível que ele tivesse sido apertado por seus pais adormecidos ou até que seus corpos quentes haviam aumentado a temperatura corporal.

Resumindo o caso, Scott Matthewson disse que este "caso doloroso" era um aviso para todos os pais para não levar seus Bebês para a cama com eles. Era uma mensagem que precisava repetir uma e outra vez, acrescentou. Falando após o inquérito, Lauren também emitiu uma súplica aos pais para colocar bebês em seus próprios berços. "Nós não pretendíamos adormecer com ele, mas estávamos exaustos e isso aconteceu. Às vezes, é bom obter esse vínculo. Mas as pessoas precisam falar para impedir que isso aconteça com outros pais ", disse ela.