Para os supersticiosos, as sextas-feiras 13 são sinônimo de azar, acontecimentos infelizes e fatalidades.

Para o vidente [VIDEO] norte-americano Horacio Villegas, esta data agora promete, de fato, um acontecimento definitivamente agourento. Villegas afirma ter tido um sonho profético, no qual lhe foi revelado que a Terceira Guerra Mundial teria início exatamente no dia de hoje, 13 de outubro de 2017, coincidentemente, ou não, uma sexta-feira, 13.

O conflito, envolvendo Estados Unidos, China, Coreia do Norte, Rússia, Japão e Síria, resultaria no risco de uma completa devastação do planeta Terra, em razão do uso de armas nucleares.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Mundo

Recentemente, Villegas ficou conhecido por ter acertado sua previsão de que Donald Trump seria eleito presidente dos Estados Unidos da América. Em razão disso, Villegas chegou a ser chamado de ''o mensageiro de Deus'' por alguns norte-americanos.

Quanto à sua previsão de uma Terceira Guerra Mundial, o vidente é categórico:

''A mensagem do meu sonho foi clara. O Mundo deve estar preparado para um conflito mundial que terá início entre 13 de maio e 13 de outubro de 2017. Esta guerra terminará em muita desgraça para o mundo. A Síria já está levando a Rússia à guerra e, em breve a China também será conduzida à mesma pela Coreia do Norte.''

O vidente, que é católico, conta como foi seu sonho; nele, bolas de fogo caíam do Céu, causando destruição. As pessoas corriam de um lado para o outro. Para Villegas, as ''bolas de fogo'' são alegorias que representam os mísseis nucleares que atingirão várias partes do globo.

Para ele, a profecia também estaria ligada ao fato de que o dia 13 seria a data da última aparição de Nossa Senhora de Fátima, que há 100 anos aparecia na cidade portuguesa de Fátima anunciando o fim da Primeira Guerra Mundial.

O aumento crescente das tensões entre Donald Trump e o presidente norte-coreano Kim Jong Un só faz crescer o medo do momento em que um dos lados resolva abandonar a prudência e iniciar um conflito nuclear. Vale lembrar que, tendo conhecimento da potência de seus respectivos arsenais bélicos, bem como da potência dos arsenais bélicos adversários, até mesmo Trump e Kim Jong Un sabem que um conflito deste porte dificilmente teria vencedores, razão pela qual talvez nenhum dos dois tenha dado o primeiro tiro, pelo menos ainda.

O que resta ao mundo é torcer para que Kim e Trump, bem como os presidentes Vladimir Putin, da Rússia, Xi Jinping, da China e Bashar al-Assad, da Síria, mantenham-se calmos e prudentes, refutando a previsão de Villegas.