Uma equipe de socorristas do município de Cambridge (Ohio, Estados Unidos [VIDEO]) atendeu uma ocorrência inusitada no último domingo (15). Durante a ligação para o órgão responsável por esse tipo de serviço (United Ambulance), a filha da vítima disse que a mãe havia caído na varanda e precisava de ajuda médica urgente.

Rapidamente os atendentes chegaram ao local, por volta das 2h45 da madrugada. Eles esperavam encontrar uma mulher gravemente ferida, pois o relato descrevia acidente doméstico. Entretanto, ao contrário das expectativas, se depararam com um caso impossível de ser tratado pela medicina convencional.

Na ocasião, a filha da mulher e a própria vítima confessaram que a genitora fora possuída por um espírito agressivo, que habita a residência da família.

O caso foi reportado pelo jornal estadunidense Times Reporter e pela rádio WSB – confira as manchetes.

Embora a garota (nome mantido em sigilo) tenha acionado os profissionais da Saúde, a mulher recusou tratamento. Enfatizou que sua doença era “espiritual”, portanto, médicos não seriam úteis.

De acordo com os policiais, com os socorristas e com o Departamento de Bombeiros de Cambridge - todos enviados ao local - a vítima estava deitada na varanda com a filha de pé sobre ela. Ao questionarem a situação, ouviram da mulher que ela foi dominada por fantasma que morava no sótão da casa.

Elas pareciam íntimas da suposta assombração. Mãe e filha, inclusive, revelaram o nome da entidade. Uma alma penada chamada Angelica. Contudo, a bizarrice não ficou restrita somente ao espírito do sexo feminino.

A dupla ainda comentou a existência de outro fantasma na morada. Um homem chamado George. Porém, ele frequentava o porão da casa - já que o sótão estava ocupado por Angelica. Com objetivo de mantê-los aprisionados, as portas do sótão e do porão foram trancadas.

No entanto, essa medida teve pouca serventia e certamente irritou os supostos fantasmas, pois a mãe da garota acabou vitimada por uma alegada assombração.

À polícia, a menina disse que precisava da ajuda de um padre para resolver a situação. Contudo, argumentou que as duas moram a pouco tempo na área e não conhecem os residentes.

Apesar da peculiar revelação, o problema da mulher pode ser outro: alcoolismo. Segundo as autoridades, a vítima comentou ter ingerido bebidas alcoólicas no início da noite em um bar da região.

Todavia, a filha também confirmou a presença de assombrações na moradia. Talvez ela tenha bebido junto com a mãe. Ou, quem sabe, um padre pode ser realmente necessário.