Segundo informações disponibilizadas pelos sites Mail Online e The Sun, nesta segunda-feira (16) o céu da Grã-Bretanha foi tingido de laranja e o sol de vermelho por causa de um fenômeno provocado pelo Furacão Ophelia, que está passando sobre o país.

A poderosa tempestade, com seus ventos de cerca de 130 km/h, foi capaz de capturar a poeira proveniente do Deserto do Saara – localizado a mais de três mil quilômetros de distância da nação europeia – e os detritos produzidos por grandes queimadas florestais que estão ocorrendo em Portugal e na Espanha, e transportar todo este material até o Reino Unido, onde foi disperso nas nuvens acinzentadas que normalmente cobrem as cidades durante a atual época do ano.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Curiosidades

O resultado de toda essa interação é o ar fantasmagórico que pode ser constatado nas imagens que ilustram esta reportagem. No entanto, o fenômeno não possui somente um impacto visual: para os 5,4 milhões de britânicos que sofrem de asma, por exemplo, a condição atmosférica pode desencadear um ataque respiratório potencialmente letal.

Por este motivo, portadores da doença estão sendo instruídos pela instituição de caridade Asthma UK a não saírem de casa até que a qualidade do ar melhore, ou que evitem locais ao ar livre quando opção anterior não for possível – além, obviamente, de sempre levarem consigo um inalador para o alívio dos sintomas da enfermidade.

Fenômeno não é tão incomum quanto parece

O Mail Online consultou o serviço nacional de meteorologia do Reino Unido, conhecido como Met Office, para obter informações sobre a estranha mudança na tonalidade da paisagem sobre o país, e Helen Chivers, uma pesquisadora da instituição, forneceu as explicações sobre o que estava acontecendo.

A cientista esclareceu que o fenômeno – que perdura por pouco tempo –, na verdade, não é tão diferente daquele que deixa o céu alaranjado nos momentos que antecedem o pôr do sol.

Os melhores vídeos do dia

O que ocorre é que o espectro da luz visível apresenta sete tonalidades (as mesmas que compõem o arco-íris), variando do azul ao vermelho. A gradação ocorre porque cada cor possui uma frequência ou intensidade de energia diferente, que é percebida de forma distinta pelos olhos, e quando a luz solar chega à Terra, atinge as partículas de poeira e os gases que compõem a atmosfera.

Quando o ar está limpo ou o sol está alto, a cor azul se espalha mais facilmente e é por isso que, ao meio-dia, o céu normalmente possui essa mesma tonalidade. No entanto, quando há muita poeira na atmosfera, é o vermelho que se torna mais difundido, já que a luz neste comprimento de onda passa a colidir com as partículas suspensas, e acaba sendo amplamente dispersa.

Confira as imagens do curioso fenômeno