Segundo alguns jornais como Daily Mail, Correio da Manhã, Metro, Mirror, entre outros, tudo indica que o Estado Islâmico (Daesh ou ISIS) ameaçou de morte o pequeno Príncipe George, em um ataque à sua escola [VIDEO].

As informações dizem que mensagens foram enviadas à família real britânica por meio do Telegram, um aplicativo de mensagens similar ao WhatsApp, que mantém a localização dos usuários em sigilo, já que as mensagens são criptografadas.

O filho mais velho de William, Duque de Cambridge, e de Kate Middleton, Duquesa de Cambridge, tem apenas quatro anos de idade e estuda na Westacre Montessori School, localizada em Londres.

A escola já tomou providências para que o Príncipe George e as demais crianças que ali estudam permaneçam em segurança.

De acordo com as informações, o grupo terrorista teria divulgado em um canal uma foto do menino em que está próximo à escola onde estuda, com a seguinte legenda: "A escola começa cedo". Além disso, também foi incluída ao post uma mensagem escrita em árabe que pode ser traduzida como: “quando vem a guerra com o som das balas, nós caímos na descrença, desejando vingança”.

Apesar de esse ser um momento de tensão, vale lembrar que não é a primeira vez que o Estado Islâmico ameaça um membro da família real britânica. Em 2015, um grupo terrorista ameaçou também a Rainha Elizabeth II.

O Príncipe George Alexander Louis é o terceiro da linha sucessória ao trono, após seu avô, Príncipe Charles, e seu pai, William.

O Estado Islâmico

O Estado Islâmico (EI) é um grupo que segue fielmente o Islamismo e busca defender o Islã a qualquer preço. É regido pelo califa, sucessor de Maomé, Abu Bakr al-Bagdadi, e domina áreas da Síria e do Iraque.

Ele foi criado a partir do grupo Al-Qaeda, responsável pelo ataque às torres gêmeas em 11 de setembro de 2001, nos EUA. Porém, o grupo Al-Qaeda e o EI romperam relações em 2014.

O grupo Estado Islâmico surgiu com a queda de Saddam Hussein e seu regime e cresceu ainda mais após a decisão de lutar contra o governo de Bashar al-Assad.

A principal missão do grupo terrorista EI é conquistar a maior parte de territórios para propagar o Islamismo e aplicar a Sharia (conjunto de leis islâmicas baseadas no alcorão, livro sagrado do Islã).

Com isso, eles buscam combater os considerados ‘infiéis’ (aqueles que discordam da visão pura do Islã) e o Ocidente para que, assim, as pessoas passem a temê-los e aceitem suas imposições. Além dos ataques terroristas cometidos pelo grupo, seus membros são colocados entre refugiados para que entrem em países que abrem as portas para os refugiados, conseguindo espalhar o Islamismo de uma forma mais sutil.