Já passam de 50 o número de mortos no atentado a um festival de música country nos [VIDEO] Estados Unidos. Na madrugada desta segunda-feira (2), um homem de mais de 60 anos, que foi identificado como Stephen Paddock, subiu em um hotel da região, atirou em diversas pessoas e, em seguida, foi morto pelas autoridades. De acordo com fontes internacionais, já são mais de 200 feridos. No quarto de Stephen foram encontradas diversas armas, que o homem pretendia usar contra as pessoas.

Tiroteio vira maior atentado com armas da história dos Estados Unidos e número de vítimas pode aumentar

Esse já é considerado o maior atentado com tiros em solo americano de toda a história.

Até então, o maior massacre com um único atirador era o do ano passado, quando 49 pessoas morreram em uma boate gay, na cidade de Orlando, na Flórida. No momento do tiroteio, pelo menos 40 mil pessoas estavam no festival country. O cantor Jason Aldean, por exemplo, acabou negando que ficou com diversos membros de sua equipe feridos. O número de vítimas fatais, infelizmente, pode acabar aumentando. Isso porque muitos estão feridos com certa gravidade.

Vídeo mostra a ação de atirador em festival de música de Las Vegas, nos Estados Unidos

Veja abaixo um vídeo que mostra a correria durante a apresentação sertaneja na região. As imagens, a seguir, são fortes e mostram o começo do tiroteio. As pessoas saem correndo e demonstram grande pânico com a ação.

De acordo com testemunhas que estavam na região, ouvia-se o barulho de uma arma semiautomática.

Ninguém sabia ao certo o que estava ocorrendo, mas sabia-se dos tiros.

Atentado em Las Vegas: Vítimas ficaram desesperadas e foram pisoteadas em meio a tumulto para escapar da morte

A banda do cantor que se apresentava chegou a parar devido ao susto. Tudo apenas foi interrompido depois de muitos minutos, quando a polícia conseguiu identificar o homem que fazia os disparos. Além das dezenas de vítimas fatais, muitas pessoas se feriram na correria e foram pisoteadas.

Uma dessas pessoas conversou com repórteres e explicou que tentava proteger os filhos. "Foi uma loucura. Eu me joguei sobre as crianças. Eles têm 20 anos. Eu tenho 53. Eu vivi uma vida boa", disse McGarry. A parte de trás de sua camisa ficou com marcas de pé, depois que pessoas passaram por cima dele na multidão.

O caso faz aumentar, mais uma vez, a discussão sobre o uso de armas nos Estados Unidos. Por lá, na maioria dos estados, a venda é legal.