Tem se tornado comum os casos de agressões à mulheres e mais um caso de violência entre casais e namorados foi registrado em vídeo. Dessa vez um vídeo mostra um homem arrastando a sua namorada por vários metros pela rua até às escadas do prédio. A vizinha do casal de namorados registrou em vídeo o momento em que o homem de 29 anos arrastava a mulher de 23 anos pela calçada antes de entrar no prédio.

O que aconteceu? Relato da namorada

Martín Alonso Camino Forsyth teve um ataque de ciúmes, segundo relatou Micaela de Osma, namorada dele. Micaela disse que Martín pediu para ver o celular dela, e como ela negou entregar o celular, ele primeiro a ameaçou com uma faca.

E ao tentar fugir, Micaela foi agarrada pelo braço por Martín e então começou a arrastá-la.

Martín decidiu levar Micaela forçadamente para seu apartamento, e para isso, ainda segurando violentamente o seu braço, ele a arrastou por vários metros até o prédio onde fica seu apartamento.

O inesperado

O que Martín não esperava era que a sua vizinha registrasse em vídeo a cena em que mostrava claramente a violência que ele cometia contra sua namorada.

No vídeo é possível ver Micaela sendo arrastada pela calçada enquanto gritava. A vizinha gravou o momento em que Martín entra no prédio com Micaela, e logo em seguida mostra o momento em que ele estava subindo as escadas, ainda arrastando a mulher. A vizinha correu para a porta e abriu pra repreender o ato, e ao notar que estava sendo filmado ele, solta o braço de Micaela.

Revolta e indignação

O vídeo foi postado na internet e viralizou, assim como causou revolta e indignação nas pessoas que assistiram; atiçando as discussões sobre a violência contra a mulher e os casos de feminicídio.

Veja no vídeo o momento da violência:

Segundo vizinhos, esta não foi a primeira vez em que viram a briga entre o casal de namorados. Eles afirmam já terem visto Martín agredir Micaela em outros momentos.

O caso foi registrado na delegacia local, mas o acusado ficou preso por apenas dois dias, o que também deixou muitas pessoas indignadas com a punição.

Ana María Choquehuanca, ministra da Mulher e de Populações Vulneráveis do Peru, fez crítica ao tempo de prisão de Martín, "Somente podem deter alguém por dois dias. Temos que fazer um esforço conjunto do Executivo e Legislativo para reforçar as leis" e disse que iria buscar apoio para tratar sobre o tema.

O caso aconteceu no bairro Miraflore em Lima, capital do Peru.