No >México, pode-se encontrar diversas belezas naturais que atraem milhares de turistas do mundo inteiro todos os anos. Muito conhecida pela beleza e encanto de suas praias, a Península de Yucatán conta também com maravilhosas piscinas naturais conhecidas como cenotes. Existem famosos buracos, localizados na região de Yucatán, que encantam e surpreendem os turistas, enquanto vislumbram um cenário paradisíaco que os transporta a uma aventura surpreendente. É também um lugar perfeito para se praticar snorkeling, nadar, mergulhar ou simplesmente tomar um banho de sol.

A joia do México

Com 15.000 habitantes, Izamal é uma pequena cidade que fica na Península de Yucatán e já foi um centro de adoração ao deus maia Itzamná, mas com a chegada dos colonizadores espanhóis, foram obrigados a destruir sua principal pirâmide e reconstruí-la exatamente em cima do lugar que antes estava.

A principal atração do lugar é o mosteiro franciscano até os dias de hoje . Atualmente, Izamal equivale, para os mexicanos, a uma joia do México Colonial. Pintados de amarelo festivo, suas arcadas, igrejas e casas emprestam-lhe uma aparência pacata e linda.

Yucatán fica ao lado do Golfo Pérsico, do lado do Golfo do México, e é um dos estados mexicanos. Situa-se exatamente a oeste da península que a o batiza, e a sua capital chama-se Mérida.

Os especialistas afirmam que foi em Yucatán que aconteceu o impacto do asteroide que a mais de 65 milhões de anos dizimou os dinossauros. Foram usados filtros especiais para gerar uma imagem da Cratera Chicxulub

Centro de adoração maia

As camadas de rochas calcárias, com o tempo, foram se deteriorando e um mundo subterrâneo foi se desenhando com a visão de águas filtradas e frescas, formando os Cenotes, que são piscinas naturais.

A água ali é tão pura e límpida que com muita facilidade vê-se os peixes. Cenote (Dzonot) tem origem no vocabulário maia, sendo para eles, na época, um lugar sagrado. Na era Pré-Colombiana, era a sua fonte principal de água doce, e os maias acreditavam que os buracos enormes eram verdadeiros portais para se comunicar com os seus deuses.

Os seus limites são: de um lado, o golfo de Honduras, tendo a lagoa de Términos, no estado de Campeche a sudoeste. O estuário de Celestún e o porto de Sisal no estado de Yucatán ficam a noroeste; o Cabo Catoche, no estado de Quintana Roo a noroeste; e a sudeste, a baía de Chetumal, no estado de Quintana Roo.