Condenado a 20 anos de prisão por crimes de guerra, o ex-alto responsável das forças croatas da Bósnia, Slobodan Praljak, 72 anos, ingeriu veneno após ouvir a sentença proferida pelo juiz [VIDEO]. O ato, ocorrido na sala de audiência do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII) em Haia, na Holanda, nesta quarta-feira (29), foi registrado por câmeras. O condenado morreu [VIDEO] em um hospital da cidade.

Depois de ouvir o veredito, o condenado disse que não era um criminoso e que rejeitava a condenação. Em seguida, ele tirou um frasco de vidro do bolso e ingeriu o líquido contido nele. O juiz ordenou para que o condenado parasse de beber, mas já era tarde.

O julgamento foi suspenso e uma ambulância foi chamada. O advogado de defesa de Slobodan afirmou que o líquido do frasco era veneno e o juiz determinou que ele fosse recolhido para análise.

Praljak foi um dos seis líderes bósnio-croatas a responder perante ao Tribunal. No início dos anos 90, bósnio-sérvios e os bósnio-croatas travaram uma guerra civil contra os mulçumanos após a dissolução da Iugoslávia. Dentre as acusações contra Praljak, estava ordenar a destruição da ponte de Mostar e não atuar para impedir o massacre de civis. Para os juízes, isso causou danos desproporcionais para a população civil muçulmana.

Criada em 1993, época em que ainda havia os conflitos, a corte indiciou 161 suspeitos, sendo que 90 deles foram condenados.

O açougueiro da Bósnia

Já na semana passada, o general sérvio Ratko Mladic foi condenado, na semana passada, à prisão perpétua pelo tribunal estabelecido pela ONU também por genocídio.

Ele foi considerado culpado de dez das 11 acusações que havia recebido, dentre elas o cerco a Sarajevo e o massacre de Srebrenica, entre 1992 e 1995. Somente nesses dois locais, estima-se que mais de 18 mil pessoas tenham sido mortas. Durante o julgamento, Mladic – que era apelidado de “açougueiro da Bósnia” -, chegou a ser retirado da sala por gritar com os juízes. A condenação foi celebrada pelo O Alto Comissariado dos Direitos Humanos da ONU.

A Guerra da Bósnia

Ocorrido entre abril de 1992 e dezembro de 1995, a Guerra da Bósnia foi um conflito armado, que envolveu vários lados, foi resultado de disputas étnicas e territoriais. Estima-se que em torno de 55 mil civis e mais de 47 mil soldados tenham morrido durante esse período, porém já chegou-se a dizer que mais de 200 mil pessoas haviam perdido a vida no confronto.