Segundo informações do jornal A Folha de S. Paulo, na tarde desta terça-feira (31), um homem em uma caminhonete invadiu uma ciclovia, atropelando pedestres e ciclistas, na cidade de Nova York. No total, 8 pessoas foram atingidas. O homem foi alvejado e detido por um policial.

O ataque aconteceu em Manhattan, no lado sul, que, além de ser um distrito financeiro, também abriga a prefeitura da cidade e é onde se localizavam as torres-gêmeas do World Trade Center.

Publicidade
Publicidade

O atentado é tratado pelas autoridades como terrorista, sendo este o primeiro, com mortos, desde o trágico 11 de setembro (2001) realizado pela Al Qaeda de Osama Bin Laden.

O ato aconteceu mais precisamente na rua West que faz um trajeto em paralelo com rio Hudson, perto de Chambers Street, de fronte para uma escola.

Cinco entre os oito mortos faziam parte de um grupo de amigos de origem argentina, que comemoravam os 30 anos de formatura. Os outros três ainda não foram identificados, sendo um deles uma mulher de origem belga.

O suspeito do crime é nascido no Uzbequistão e se chama Sayfullo Saipov, de 29 anos. Segundo a imprensa americana, ele residia legalmente em solo americano desde 2010 e nos últimos meses ele trabalhou como motorista do Uber.

A Polícia conseguiu encontrar uma carteira de habilitação emitida na cidade de Tampa na Florida e informou que Saipov vivia em Patterson, no estado de Nova Jersey. O carro alugado por ele pertencia a uma loja Home Depot, que trabalha no ramo de utilidades domésticas.

Publicidade

O presidente americano, Donald Trump, que já propusera anteriormente um enrijecimento das regras da política migratória voltou a defender tais ideias. Um pouco mais cedo ele havia atribuído o atentado a alguém doente e perigoso, e diz ainda que as forças de segurança estão acompanhando o caso.

A imprensa local, de acordo com informações da polícia, diz que Saipov deixou um bilhete no qual declara sua lealdade ao Estado Islâmico (EI). No entanto, a facção não reivindicou a autoria do atentado praticado por Saipov, que, ao que parece, foi realizado sozinho.

A polícia e o FBI estão fazendo uma varredura na cidade do suspeito. Isolaram o prédio onde Saipov vivia com a mulher e dois filhos em um pequeno apartamento e foram feitas buscas também na garagem.

Segundo vizinhos, Saipov era visto sempre na esquina conversando com amigos.

Patterson possui uma grande comunidade mulçumana e próximo da residência de Saipov há uma mesquita.

O suspeito segue internado, ele foi atingido por projetil de arma de fogo na altura do abdômen.

Publicidade

Leia tudo