Mais uma tragédia nos Estados Unidos foi revelada neste domingo, 5. Um atirador abriu fogo em 'nome do Pai' em uma igreja numa pequena cidade do Texas, chamada Sutherland Spring. O ataque com um fuzil matou, até agora, pelo menos, 26 pessoas, e feriu outras 20. O atirador foi identificado pela polícia do estado americano e é um velho conhecido do exército dos Estados Unidos.

O homem, de 26 anos, é um ex-integrante das Forças Aéreas dos Estados Unidos, mas foi banido da corporação. O múltiplo assassino também é um ex-professor de estudos bíblicos. #Devin P. Kelley nasceu em New Braunfels, periferia de San Antonio.

O homem portava um fuzil e assim que saiu de seu carro estacionado nas proximidades [VIDEO] da igreja, começou a atirar a esmo com o objetivo claro de matar a maior quantidade de pessoas possível.

Atirador abre fogo contra uma igreja, mata 26 e é perseguido por populares

Assim que a munição da arma de Kelley acabou [VIDEO], ele retornou ao carro e começou a ser perseguido por populares. Em uma breve perseguição, o assassino bateu o carro e foi encontrado morto pela polícia.

A polícia vai aguardar o laudo pericial para identificar se o homem morreu do acidente, de um disparo de policiais ou de populares, ou mesmo se ele se matou. O carro tinha outras armas, além de um fuzil.

Mistério de homem que matou fiéis de uma igreja é revelado

Segundo um policial, o homem que atirou contra fiéis está tendo suas redes sociais monitoradas para saber se ele participou de algum outro atentado [VIDEO]. Sabe-se que ele já postou uma foto de uma arma semiautomática AR-15 o que fez com que autoridades imaginassem um possível envolvimento do homem em outros atentados.

A casa de Kelley também foi invadida por policiais e cães para identificar possíveis bombas e outros artefatos bélicos.

O homem foi expulso das Forças Aéreas (motivo não foi revelado) e depois se ofereceu para ensinar a bíblia na Igreja Batista do Texas.

Autoridades também lembraram que este não é um ato isolado. Segundo o site “Gun Violence Archive" desde o ataque de 1° de outubro em Las Vegas, quando Paddock atirou de um hotel em uma multidão, já foram 35 ataques com armas. Isso contando apenas atentados com quatro ou mais vítimas, entre mortos e feridos.

Trump afirma que monitora o caso

O presidente americano que está em viagem pelo oriente revelou que está monitorando o caso e mandou uma mensagem para as famílias das vítimas da tragédia. "Que Deus esteja com o povo de Sutherland Springs, no Texas. O FBI [a polícia federal] e agentes da lei estão no local do crime", afirmou o presidente norte-americano. #atirador do Texas #atirador americano