Uma mãe mexicana cujo filho de 10 meses pesa o mesmo que uma criança de 9 anos falou sobre sua condição misteriosa. Isabel Pantoja, de 24 anos, do estado da Colina do Pacífico, disse que, no início, ela assumiu que o crescimento do seu bebê, Luis, estava relacionado com seu "bom leite materno", mas agora ela está morrendo de preocupação com seu filho.

Ela também revelou que a família a está ajudando para que seu menino seja levado e tratado em um hospital local, onde os médicos estão desconcertados por sua condição. [VIDEO] Uma das principais hipóteses é que o menino poderia ter uma doença chamada Síndrome de Prader-Willi, uma condição genética em que as crianças têm um apetite insaciável e músculos fracos.

No entanto, Luis não come vorazmente, nem passa seu dia exigindo comida. Os médicos estão pensando em dar-lhe tratamento hormonal, mas isso poderia custar US$ 555 (R$ 1.839) por cada sessão, apesar de seu pai ganhar apenas o equivalente a US$ 200 (R$ 663) por mês. Ao nascer, Luis pesava somente 3,5 kg, um peso considerado normal para um bebê e que muito se assemelhava a seu irmão Mario, que tem quase 3 anos, mas que agora parece anão ao lado do seu irmãozinho.

Aos 2 meses de idade, Luis já pesava 10 kg, o que já é completamente incomum para um bebê tão pequeno. Durante os próximos oito meses, ele ganhou uns impressionantes 18 kg. Desde então, seus pais criaram uma página no Facebook e abriram uma conta bancária para que as pessoas doem dinheiro para os cuidados médicos que Luis Manuel precisa.

Nesse momento, eles estão se revezando, empurrando-o para o hospital [VIDEO]em um carrinho decrépito para exames de sangue diários. "Dói ver as enfermeiras procurarem entre os pedaços de gordura em seus braços por uma veia", disse o pai Mario Gonzales.

Isabel Pantoja acaricia seu filho enquanto conta que, quando tinha pouco mais de um mês de idade, o menino já tinha que usar roupas para crianças de 2 ou 3 anos. Agora ele tem que ir ao hospital até quatro vezes por semana para fazer testes.

O excesso de peso significa que ele não pode caminhar, nem se arrastar e só pode sentar-se ereto. Isabel disse que está cansada de carregá-lo, por ele ser tão gordinho. Porém, existe ainda uma esperança para Luis.

Silvia Orozco, médica especializada em nutrição, contatou a família e examinou o menino. Ela concluiu que a vida de Luis poderia estar em perigo, mas está aguardando os resultados de novas análises de amostras de tecido nos Estados Unidos.

Silvia disse que, ao invés de Síndrome de Prader-Willi, seu problema pode ser este: enquanto estava grávida de Luis Manuel, a dieta de sua mãe não tinha certos nutrientes e isso causava glândulas que gerenciavam seu metabolismo para baixo desempenho.

Se esse for o caso, o prognóstico é bom e envolverá sessões hormonais, que poderiam curar esse menino.

Veja algumas imagens de Luis: