3

Imagine frequentar uma igreja onde o bispo fundador se posiciona atrás de uma garrafa de uísque de 4,5 litros antes tomar um generoso gole do destilado e começar a abençoar outras bebidas, que serão degustadas por fiéis sedentos pela palavra do Senhor – e claro, pelos drinques consumidos durante as celebrações, que começam às 11 da manhã nos domingos e que podem se prolongar até o final da tarde.

Segundo reportagem publicada pelo site Mail Online, esta vertente religiosa realmente existe: ela se chama Igreja Gabola, e tem suas celebrações realizadas em tavernas da cidade de Evaton, situada na região de Joanesburgo, na África do Sul.

O criador da congregação, que já conta com cerca de 500 seguidores (apesar de ter sido fundada há apenas alguns meses), é Tsietsi Makiti, de 52 anos de idade. Segundo o autointitulado bispo, o seu culto – "gabola" é um termo no idioma sotho-tswan que quer dizer justamente "beber" – recebe de braços abertos todos aqueles fiéis que se sentem desconfortáveis em igrejas convencionais, onde o consumo de álcool é condenado [VIDEO] ou até mesmo proibido.

Promoção de amor e paz

Tsietsi Makiti revelou que cada indivíduo que assume a nova fé é batizado com a sua bebida favorita, e ele já realizou esse ritual de consagração com aproximadamente duas mil pessoas.

De acordo com o site Pulse, o bispo afirmou que quando Jesus se revelou aos seus seguidores, na passagem bíblica referente às Bodas de Caná (narrativa constante no Evangelho de João), o álcool teve um papel importantíssimo.

Para Makiti, no momento em que Cristo transformou água em vinho durante a celebração de um casamento – o que é considerado o primeiro milagre realizado pelo Redentor –, orou para que os corpos dos convidados fossem estimulados pela bebida.

Segundo o clérigo, quando a presença de Deus passa a estar nas tavernas frequentadas pelos seguidores da Igreja Gabola, os índices de crimes acabam sendo reduzidos naqueles recintos, e há promoção de paz, amor e respeito mútuo. Makiti justifica sua alegação declarando: "As pessoas que bebem cerveja são felizes e pacíficas. Isso significa que elas estão vivendo na sombra de Deus".

O bispo está pensando em expandir a sua congregação para mais tavernas, e permitir que sejam aceitas mulheres na religião que atualmente é exclusivamente masculina – isso ocorre porque Makiti ainda se sente desconfortável com o comportamento que certos homens adotam em relação ao sexo feminino quando estão bêbados. No entanto, o fundador da igreja afirma que tem como objetivo educar seus seguidores, e assim que eles estiverem "preparados", as damas poderão frequentar as celebrações.

Assista a algumas partes de um destes encontros: