Segundo informações divulgadas pelos sites Siberian Times e Mail Online, um triste exemplo de maus tratos Animais aconteceu recentemente em Yakutsk – cidade situada na Rússia, e considerada a metrópole mais fria do mundo, com temperaturas médias anuais de -21° C –, quando um homem agiu de forma extremamente cruel contra sua cadelinha de apenas um ano de idade que estava em um canil ao ar livre, despejando água sobre ela com o propósito de matá-la.

Se o fato acontecesse, por exemplo, em um município quente, não seria nada de mais (aliás, um canino até se sentiria bem quando fosse molhado nesta circunstância), mas o problema é que o incidente ocorreu enquanto fazia -32° C na localidade.

Publicidade

Em pouco tempo, o líquido congelou em função da temperatura ambiente, e literalmente transformou o corpo da cadela – que ficou apenas com a sua cabeça e uma das patas livres – em um bloco de gelo.

Um vídeo feito por ativistas que lutam pelos direitos dos animais mostra o sofrimento da cachorrinha de pelo branco, que inutilmente move a pata livre em uma tentativa de se libertar, enquanto neve cai sobre ela. Acompanhe:

Luta pela vida

De acordo com o Siberian Times, o grupo de defensores dos animais de Yakutsk foi avisado sobre a situação envolvendo o indefeso mamífero depois que vizinhos do homem que queria se livrar da cadela a escutaram chorando.

Os ativistas foram até o local e começaram a quebrar o gelo, e após algum esforço, conseguiram libertar a cachorra.

Prontamente, o animal de estimação foi levado até um veterinário, mas já estava em estado crítico e sofrendo de hipotermia grave (queda excessiva da temperatura corporal normal, que nos caninos gira em torno dos 38° C), e o médico não teve alternativa a não ser sacrificar a cadelinha dando-lhe uma injeção letal.

Relembrando dos momentos em que participou da tentativa de salvamento, uma mulher que integrava o grupo de ativistas declarou que nunca se esquecerá do desespero demonstrado por aquele ser vivo, pois, de acordo com ela, a cachorra tinha exatamente os mesmos olhos "de um homem que queria viver, mas que sabia que já estava morrendo".

Publicidade

Os defensores dos animais envolvidos no caso denunciaram falta de ação da polícia local, e iniciaram uma petição contra o dono do animal – cuja identidade não foi divulgada. Até o momento, o documento que exige ações das autoridades russas contra o homem já conta com a assinatura de mais de 10 mil pessoas.

Além disso, Sergey Boyarsky, um deputado de Moscou, assumiu o processo que está em curso a respeito do incidente, e também pede que o proprietário seja acusado criminalmente.