Sagrada para as diferentes vertentes do Cristianismo, a Bíblia é o principal instrumento das religiões ocidentais. Nela, as pessoas procuram edificar conhecimentos comportamentais, filosóficos e místicos, através dos ensinamentos dos Apóstolos - mensageiros de Jesus Cristo, principal ícone do Novo Testamento.

Contudo, às vezes, até mesmo uma despretensiosa reunião para nutrir a fé pode culminar em tragédia. Afinal, a violência faz parte da genética humana. Um exemplo desse tipo de situação aconteceu no domingo (29), no município de Dublin (Geórgia, Estados Unidos [VIDEO]).

Enquanto estudavam a Bíblia, os universitários e amigos de infância Raekwon Pauldo, 21 anos, e Jacquell Smith, 20, divergiram sobre a interpretação de alguns ensinamentos sagrados.

Ao invés de resolverem a questão através de ajuda religiosa, optaram por discutir de forma acalorada.

O resultado deste inocente encontro foi a morte de Smith, baleado duas vezes na cabeça. O crime aconteceu no apartamento do colega Pauldo.

Tudo indica que o fútil desentendimento sobre mensagens da Bíblia foi suficiente para romper a longa amizade dos jovens. À emissora local WLTX19, o chefe da polícia de Dublin, Tim Chatman, comentou a ocorrência.

“Eles se conheceram há muito tempo. Eles estavam discutindo coisas que não faziam nenhum sentido. Como resultado desse argumento, um dos cavalheiros acabou de atirar nele [Smith] - atirou nele na cabeça duas vezes".

Indagado sobre o motivo que desencadeou a fúria de ambos, o chefe de polícia não soube detalhar com precisão. Entretanto, ressaltou que a desavença foi impulsionada por um motivo tolo.

Em determinada ocasião, enquanto debatiam o significado das mensagens sacras, os jovens discordaram sobre a interpretação da Bíblia relativa ao perdão.

“Em algum momento, eles discutiram sobre a Bíblia, sobre o perdão. e então isso se voltou para outra coisa”, declarou o policial.

Ainda que pareça incongruente, desde o início das religiões os seres humanos se matam por discordarem das diferentes crenças. Talvez não tenhamos compreendido as mensagens universais de amor, respeito, paz etc.

Provavelmente, o egocentrismo dominante em nós, que nos impede de enxergar além das nossas próprias convicções, seja responsável pelas matanças em nome do ‘Pai’.

Jamais iremos admitir que estávamos errados sobre determinadas crenças, pois a fé, até mesmo equivocada, é venerada. Amém.